Created by Watereffect.net Created by Watereffect.net

Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



BLOGUE PARADA DE AGUIAR - Mais sobre mim


Colaboradores - Clique nas fotos para aceder aos textos de cada Colaborador

ela, 2. antonio candido . 8341659518_ecc98db9f2_m . Cândida dos Reis Dias Pinto . minha foto. agostinho ribeiro . agostinho . francisco gomes .

calendário

Setembro 2012

D S T Q Q S S
1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30


CONTADOR DE VISITAS


contador View My Stats

página de fãs


Pesquisar

 

sitemeter


Google Maps


Ver mapa maior

PARADA DO CORGO

viveiro em 1987


LIVRO - UM MUSEU ONDE TUDO PODE CABER

por cunha ribeiro, Domingo, 30.09.12

 

NA MINHA MEMÓRIA

SÓ HÁ UMA ALDEIA

QUE ME FAZ FELIZ,

 MAS A SUA HISTÓRIA

É ÁRVORE QUE ESCONDE

A SUA RAIZ

 

QUEM DE LONGE A FITA

VÊ-A COM PRAZER

PORQUE  É BONITA,

MAS AO VÊ-LA ASSIM

NÃO TEM A CERTEZA

DA SUA BELEZA

 

TEM PRESSA EM SABER

DO QUE NELA EXISTE,

DE QUEM LÁ VIVEU?

SÓ HÁ UM  CAMINHO:

FAZER POR MORRER

E SUBIR AO CÉU.

 

LÁ ENCONTRARÁ

QUEM  CÁ JÁ NÃO ESTÁ,

E LHE EXPLICARÁ

TUDO O QUE CÁ HÁ.

 

CR

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 18:34

ESTA É A GRANDE VERDADE

por cunha ribeiro, Domingo, 30.09.12

 

DITA POR UM PATRÃO DEVERIA TER AINDA MAIS FORÇA

 

CR


 

 

I Fórum Empresarial do Algarve

Soares dos Santos: "Quem ganha menos de 500 euros não tem vontade de trabalhar"

30.09.2012 - 15:34 Por Lusa

Alexandre Soares dos Santos recebeu o prémio “Life Time Achievement" no AlgarveAlexandre Soares dos Santos recebeu o prémio “Life Time Achievement" no Algarve (Nuno Ferreira Santos)
 O presidente do Grupo Jerónimo Martins, Alexandre Soares dos Santos, declarou-se este domingo “violentamente contra” a política dos baixos salários dentro das empresas, porque “uma pessoa que ganha menos de 500 euros não tem vontade nenhuma de ir trabalhar”.

“Os baixos salários não resolvem situação nenhuma e as pessoas não têm vontade nenhuma para ir trabalhar para receber menos de 500 euros depois dos impostos”, disse aos jornalistas, à margem do I Fórum Empresarial do Algarve, que terminou este domingo em Vilamoura. 

Sobre a política salarial da função pública, lamentou que, neste momento, “seja preciso reduzir a despesa de um dia para o outro”, e defendeu que a única folga são os salários, num contexto, disse, “em que 80 por cento das despesas do Estado são salários”. 

“Eu não gosto, mas vamos pôr toda a gente na rua em nome do Estado?”, questionou. 

Alexandre Soares dos Santos – que recebeu o prémio “Life Time Achievement” durante a sessão de encerramento do Fórum Empresarial do Algarve –, criticou os políticos “porque estão longe da realidade”. O horizonte dos empresários, disse, “são vários anos”, mas e o dos políticos “são as próximas eleições”.

Soares dos Santos sustentou ainda que “esta história de só termos empresas públicas, só dá prejuízo”, porque os privados “têm que dar satisfações aos accionistas”. 

No rescaldo das declarações de António Borges, que chamou de "ignorantes" os empresários que contestaram as alterações que o Governo queria fazer à taxa social única (TSU), Soares dos Santos criticou não só o consultor do executivo para as privatizações, como também a reacção do presidente da Confederação da Indústria Portuguesa (CIP), António Saraiva, que disse em resposta que a maioria das empresas portuguesas também não contrataria António Borges.

“Vamos ter respeito por um homem que foi director do FMI, não é um tipo qualquer”, disse Alexandre Soares dos Santos, em declarações aos jornalistas à margem da sessão de encerramento do Fórum Empresarial do Algarve, em Vilamoura. 

Sobre as declarações de António Borges, observou que “foi infeliz” mas “a gente às vezes somos infelizes porque aquece ou houve alguma coisa que nos irritou no momento”. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 17:03

PAIRA NA ATMOSFERA AGUIARENSE O CHEIRO A ELEIÇÕES MUNICIPAIS

por cunha ribeiro, Domingo, 30.09.12
 E ÀS DECISÕES DEMAGÓGICAS ( TAXA DE IMI), SEGUIR-SE-ÃO OBRAS DEMAGÓGICAS, EM CERTAS ALDEIAS.
 ESPEREMOS P`RA VER.
 
 
Deputados aprovam nova taxa IMI
Deputados aprovam nova taxa IMI

Em reunião de Assembleia Municipal de Vila Pouca de Aguiar, que decorreu a 28 de setembro, os deputados aprovaram por unanimidade as taxas do Imposto Municipal sobre Imóveis com a sua fixação para 2013.

Neste sentido, a proposta aprovada em plenário é de aplicar a taxa mínima agora fixada em 0,3 para os prédios avaliados e de 0,7 para os prédios não avaliados. Esta decisão vem de encontro às pretensões do executivo que, segundo o presidente da Câmara Municipal, Domingos Dias, decidiu «manter as taxas para não agravar» os encargos das pessoas. De referir ainda que o concelho de Vila Pouca de Aguiar pode aplicar estas taxas mínimas porque não está integrado no programa de apoio local estabelecido no âmbito do memorando da troika.

Além deste ponto (o terceiro), nesta reunião foram ainda aprovados por unanimidade o pedido de renúncia de mandato de Liliana Almeida, os compromissos plurianuais no âmbito do quartel dos bombeiros e o regulamento para a instalação da atividade apícola no concelho.

A abertura de concurso para um técnico de serviço social e o lançamento da derrama foram pontos aprovados pela maioria dos deputados municipais. Ainda nesta reunião, o presidente da Câmara esclareceu os deputados sobre reuniões com o ministério da justiça (relativa ao mapa judiciário), com a empresa de prospeção de ouro em Jales (sobre o plano de trabalhos e contrapartidas para o concelho), com a REFER (devido à diminuição substancial das rendas da ciclovia) e com a Direção Geral de Geologia e Energia (assinatura de protocolo que atribui à autarquia direitos de exploração das águas no Cardal, para efeitos termais e de comercialização). Domingos Dias esclareceu ainda o público sobre vários assuntos (pavilhão, arborização ou sinalética em Pedras Salgadas). Todos os deputados participaram num momento simbólico pelo falecimento da esposa de Mário Pinto, que preside à Freguesia de Parada de Monteiros.

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 11:54

INTERROGAÇÕES SOBRE OS SUBSÍDIOS DA CÂMARA DE VILA POUCA ÀS ASSOCIAÇÕES CULTURAIS E RECREATIVAS

por cunha ribeiro, Domingo, 30.09.12

 

Em minha opinião os critérios escolhidos para a distribuição de subsídios às associações do Concelho não permitem que estas sejam criativas ao não reconhecerem qualquer  mérito a actividades inovadoras, ou inabituais neste tipo de associações. 

Eu pergunto:  Terá mais valor realizar uma desfolhada tradicional,  ou criar um jornal que fale dos costumes e tradições de uma aldeia?

 Será mais valioso trazer à  terra onde nasceram as pessoas que labutam há anos fora da sua aldeia, ou realizar um passeio a pé por um sítio onde somos obrigados a passar ( um trilho desenhado por duas ou três pessoas) para termos direito a um subsídio?

 E a investigação das raízes culturais de uma aldeia, onde está valorizada?  Mostrem-me onde e como algum responsável autárquico se preocupou  em incentivar uma associação do seu concelho a escrever um livro sobre as raízes culturais da sua aldeia?

 

CR

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 00:05

TER MEMÓRIA DE ELEFANTE

por cunha ribeiro, Sábado, 29.09.12




O elefante é o animal que melhor se lembra de tudo aquilo que aprende. Talvez, por isso seja um rigoroso cumpridor do seu espectáculo no circo.

Assim, e por efeito da comparação, diz-se que as pessoas que se recordam de tudo têm memória de elefante.



Comentário:  As pessoas que costumam associar a BOA MEMÓRIA à INTELIGÊNCIA, talvez devam rever esse preconceito...


CR

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 15:49

ILÍDIO SANTOS - RECORDAR ABÍLIO RIBEIRO

por cunha ribeiro, Sábado, 29.09.12

Parece mentira, mas já lá vão 18 anos que foste arrancado do convívio dos entes queridos e amigos. Partiste muito cedo, com tantos e promissores projetos de vida. Não merecias.

O tempo não para, só a saudade é que faz as coisas pararem.

A tua ausência causa nostalgia num punhado de amigos, que ao relembrarem a tua alegria contagiante é como se ainda estivesses presente.

Perdi um grande amigo, mas mesmo longe a nossa amizade continua perto, a tua ausência causa-me saudades, mas nunca o esquecimento.

I.Santos

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 12:03

Recordando Abílio Ribeiro

por cunha ribeiro, Sexta-feira, 28.09.12

 

Em mais uma data do aniversário da sua morte permitam que relembre o meu irmão, Abílio Ribeiro, cuja vida foi um instante de luz. Luz que se transmudou em Céu. O Céu que eu próprio pintei com o guache azul do meu “orgulho”, para que ele lá possa viver eternamente.Este poema de Fernando Pessoa parece-me adequado a exprimir o pessimismo  com que cada vez mais encaro  a relação entre a morte e a nossa memória.Que os seus amigos de sempre o leiam cada qual à sua maneira, porque os poemas são assim mesmo, mensagens  nobres de significados vários.


FCR

 



 

“Primeiro foi a angústia, a surpresa da morte

Do mistério e da falta da tua vida falada...

Depois o horror do caixão visível e material,  

As pessoas a velar, inconsoláveis algumas,

Outras ( quem sabe) contanto anedotas,

Lamentando a pena de teres morrido,

E tu mera causa ocasional daquela carpidação,

Tu verdadeiramente morto, muito mais morto que calculas...

Muito mais morto aqui que calculas,

Mesmo que estejas muito mais vivo além...

Depois a trágica retirada para o jazigo ou a cova,

E depois o princípio da morte da tua memória.

Há primeiro em todos um alívio

Da tragédia um pouco maçadora de teres morrido...

Depois a conversa aligeira-se quotidianamente,

E a vida de todos os dias retoma o seu dia...

 

Depois, lentamente esqueceste.

Só és lembrado em duas datas, aniversariamente:

Quando faz anos que nasceste, quando faz anos que morreste.

Mais nada, mais nada, absolutamente mais nada.

Duas vezes no ano pensam em ti.

Duas vezes no ano suspiram por ti os que te amaram,

E uma ou outra vez suspiram se por acaso se fala em ti.

?

 

Que memória dos outros tem o ritmo alegre da vida?

Ah, pobre vaidade de carne e osso chamada homem.

Não vês que não tens importância absolutamente nenhuma?

 

És importante para ti, porque é a ti que te sentes.

És tudo para ti, porque para ti és o universo,

E o próprio universo e os outros

Satélites da tua subjetividade objetiva.

És importante para ti porque só tu és importante para ti.

E se és assim, ó mito, não serão os outros assim? “

 

F. Pessoa ( A. De Campos)

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 19:09

GOSTAVA QUE PENSASSEM NISTO

por cunha ribeiro, Sexta-feira, 28.09.12

 

 

 Quando votamos, seja para o que for, mas sobretudo para a Assembleiada República, e para as autarquias, nunca devíamos votar  a pensar só no perfil de uma pessoa. A pessoa, seja ela quem for, pode ser muito honesta, contudo, mais tarde ou mais cedo, vai deixar-se influenciar pelo pai, pela mãe, pelo irmão mais velho, pelo padrinho, pela madrinha, pelo amigo de longa data, pelo Sr X que é muito rico e influente, e por aí fora.

 A forma mais segura de o eleitor não sair enganado, seria votar num programa para cumprir, claro, e concreto. Um programa do qual quem fosse eleito não se desviasse nem um milímetro. Um programa para cumprir com rigor, sem falhas.

 Mas não basta o programa, teriam de ser implementadas regras de cumprimento desse programa. E no caso de incumprirem, os responsáveis teriam as polícias e o Ministério Público à perna de imediato. E descoberto algum crime, ou algum enriquecimento ilícito, deveriam arcar de imediato com uma penalização adequada que os dissuadisse de reincidir. Não sou pela penalização meramente política, sou também e sobretudo pela penalização criminal e civil.

 Só assim começaríamos a ter governantes competentes e sérios ao leme do nosso país, ou das nossas autarquias.

 

CR

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 12:09

QUANDO É QUE PASSOS COELHO VOLTA A RECITAR LUÍS DE CAMÕES?

por cunha ribeiro, Quinta-feira, 27.09.12

 

É que eu queria reservar o Bilhete para assistir ao "espectáculo"...

 

 

CR

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 19:33

A EXPRESSÃO "FAVAS CONTADAS"

por cunha ribeiro, Quinta-feira, 27.09.12


Antigamente votava-se com  favas brancas e pretas. AS brancas significavam "sim", as pretas, "não". Cada votante, em vez de uma folha em papel com uma cruz,  pegava numa fava ( branca, ou preta) e colocava-a na urna. Era o seu voto. Depois apuravam-se os votos pela contagem dos grãos.

Quem tivesse a sorte de ter o maior número de favas brancas estaria eleito.


É por isso que actualmente,  "favas contadas" significa coisa certa, negócio seguro.


EXEMPLO:  Julgo que se houvesse eleições no país neste momento, para a "oposição" seriam "favas contadas". (Mas adiantaria alguma coisa?).


NOTA: Como faziam para votar em branco? Boa pergunta. À qual não sei responder.


CR

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 19:11

Capela de Parada de Aguiar e Rua do Arco, com ef. especiais


Created by Watereffect.net
Created by Watereffect.net


Comentários recentes

  • cunha ribeiro

    Absolutamente de acordo!

  • Cláudio Dias Aguiar

    Sou Cláudio Dias Aguiar, único filho do casal Raim...

  • mami

    domingo gordo é mesmo para enfardar :D :D :D

  • Anónimo

    Os meus pesames a familia.

  • Ebe Taveira

    Como assim??

  • cheia

    Muitos parabéns pelas suas oitenta e quatro Primav...

  • cunha ribeiro

    À Emília e ao Orlando Branco, filhos da Dona Alice...

  • cheia

    Já não bastava  as agencias de rating conside...

  • cunha ribeiro

    Grande texto sr Agostinho Gomes Ribeiro. Partilho-...

  • João Ribeiro

    Parabéns primo Agostinho pelo belo texto sobre a S...




IMAGENS DA NOSSA TERRA

CLIQUE NA FOTO PARA ACEDER À GALERIA DE IMAGENS DE PARADA DE AGUIAR parada em ponto grande para imagem de fundo.

GENTE DA NOSSA TERRA

minha imagem para.jpg


subscrever feeds



Pág. 1/11