Created by Watereffect.net Created by Watereffect.net

Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



BLOGUE PARADA DE AGUIAR - Mais sobre mim


Colaboradores - Clique nas fotos para aceder aos textos de cada Colaborador

ela, 2. antonio candido . 8341659518_ecc98db9f2_m . Cândida dos Reis Dias Pinto . minha foto. agostinho ribeiro . agostinho . francisco gomes .

calendário

Junho 2014

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930


CONTADOR DE VISITAS


contador View My Stats

página de fãs


Pesquisar

 

sitemeter


Google Maps


Ver mapa maior

PARADA DO CORGO

viveiro em 1987


Grécia Melhor que Portugal

por cunha ribeiro, Domingo, 29.06.14

 

 No Futebol e não só.  Fecharam a televisão porque quiseram poupar nos vencimentos milionários dos seus funcionários. O que permite não ir tanto ao bolso dos outros funcionários.

Quanto à equipa de futebol é o que se vê. Joga, começa a perder, não baixa os braços, resiste, força e só não ganha se não tiver sorte.

Com Fernando Santos a comandar e a mostrar que podia ser ele o próximo a treinar Ronaldo e companhia. Todavia parece que não,  Paulo Bento vai continuar a desgraçar o futebol nacional. Siga a rusga.

 

CR

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 23:02

PARADA EM FESTA

por Francisco Gomes, Domingo, 29.06.14

Domingo dia 29 de junho, enquanto os Paradenses festejam São Pedro, o seu Santo Protetor, a muitas milhas de distância, curto a saudade desta festa que me traz muitas recordações. Conheci o Adro de São Pedro, quando era apenas cercado de campos de milho e de batatas. Não havia nenhuma casa à sua volta. Aliás, a primeira casa que ali surgiu, foi construída no próprio terreno do Santo, portanto deveria pertencer à aldeia, mas não pertence.

Lembro quando se erguia em frente à capela, um grande "Mastro", com a Bandeira Nacional a tremular no topo, anunciava a festa que estava próxima. Hoje não mais se ergue o "Mastro", que era uma festa a anunciar a outra. Já estou longe da minha aldeia, há 64 anos, uma vida. Não sei o que é feito agora, para promover a festa.

Tenho muitas e gratas recordações desta festa. Houve um tempo em que era feita um ano por Fontes e outro por Soutelo. Só a cada três anos pertencia a Parada. Realmente, embora a festa não pertencesse a Parada, a aldeia sempre festejava. Pois naquele tempo, o dia 29 de junho, era  Dia Santo de Guarda, portanto, ninguém trabalhava nos campos.

Quando a festa pertencia a Parada, os "andores", em número de três, eram armados na eira dos Moutinhos ao lado das Lages. As figuras Bíblicas que figuravam na Procissão eram vestidas na Escola. A Procissão se formava junto à Capela do Santo. Lembro o ano em que figurei vestido de São José, a minha irmã Alcina, figurou vestida de  Nossa Senhora. Levávamos pela mão, um menino figurando o Menino Jesus. Ele só queria andar no colo, não queria andar e deitava-se no chão. As pessoas achavam graça.

A Procissão começava a se formar por volta de dez horas, descia pela rua principal. Na Cuscarreira, havia uma "ramada" muito grande e baixa. Ali os "andores" só podiam passar deitados. A Procissão chegava a São Pedro, por volta de meio-dia, tinha a Missa Festiva e o Sermão. Lembro que no momento do Santus, era feita uma descarga de morteiros. Ao terminar as cerimônias religiosas, a Procissão voltava para a aldeia e recolhiam tudo. Após o almoço festivo, quando havia quase sempre "cabrito assado" e também convidados de outros lugares, o povo descia para São Pedro, onde haviam muitas barracas de comidas, bebidas e jogos. Ali esperavam chegar a tardinha, para ao som da Banda de Música, dançar em volta de um "coreto", previamente armado.

Em 2008, quando fazia 58 anos que não ia à minha terra, participei da festa de São Pedro. Pareceu-me que o povo não estava tão animado como outrora. A Procissão veio de Soutelo. Terminadas as cerimônias religiosas,  tudo se desfez ali mesmo. A procissão chegou por volta das 17 horas. Á noite teve o arraial, animado por um Conjunto bastante avançado, as mulheres estavam quase nuas. Achei a festa mais profana do que religiosa. Também não havia Barracas de comida, só de jogos. A comida e a bebida só tinham na Barraca de São Pedro, que antes não existia. Achei tudo muito moderno. Mas um fato chamou a minha atenção, as pessoas serem obrigadas a fazerem suas necessidades protegidas pelos arbustos próximos, pois não havia sanitários próprios.

Espero voltar a assistir à festa para prestar atenção de como se realiza hoje. Antigamente, a gente andava no lombo dos jumentos, hoje anda-se de avião supersônico. As mudanças precisam acompanhar o progresso.

                                                                         

Deus abençoe a todos

                                                                     

Agostinho  Gomes  Ribeiro              

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 21:29

NÃO TENHAM MEDO‏

por Francisco Gomes, Domingo, 29.06.14

O medo é uma constante em nossa vida. Ele nos acompanha desde o berço, até à morte. Mas uma coisa é certa, nós sempre temos medo do próprio medo. Quando ainda somos crianças, temos medo do escuro, dos fantasmas, do "bicho papão", da mula sem cabeça, do lobisomem, etc. Estes medos vão terminando na medida que chegamos à adolescência.

Quando já somos adolescentes, vem a timidez, o medo de falhar em nossos ideais. Temos medo dos relacionamentos, medo de assumir responsabilidades. Mas é um procedimento normal, pois trata-se de uma criança que tem medo de ser adulto.

Chega a juventude, com ela a insegurança, o medo da universidade, de escolher uma profissão que não nos traga a realização. A falta de perspetivas, os desafios do futuro, o medo de constituir uma família, o medo de falhar, etc.

Com a maturidade, os medos assumem outras dimensões, temos medo dos assaltos, medo de sermos ludibriados em algum negócio, medos de sofrer atentados, medo de educar os filhos, preocupações com o futuro deles, temos medo das doenças, das traições e dos fracassos.

Enquanto vivemos estas preocupações, chegamos à idade madura, quase sem dar conta. Agora o medo é a aposentadoria, a incapacidade, os netos, que veem ocupar o lugar dos filhos, que já se foram para a vida, já  atingiram o seu lugar, já conseguiram vencer as incertezas do mundo. Temos medo de doenças características da velhice, temos medo de sermos "peso morto" na vida dos outros. Temos a vivência, temos o conhecimento, temos a capacidade, mas falta-nos o vigor e a disposição para continuar na luta. Todos os problemas de saúde que conseguimos driblar na maturidade, voltam agora com intensidade a infernizar nossa vida. São dores por todo o corpo.

É o momento de meditar no outono da vida, no inverno que se aproxima, no fim da nossa jornada que se anuncia. É o momento de meditar nas palavras do Mestre: " Não  tenhais medo, Eu estarei com vocês até ao fim." No entanto, é uma sensação muito difícil, de sentir que "quem já andou, não tem mais para andar." Nosso sofrimento e nosso medo continuam, é a velhice, uma doença que não tem cura. Chegou o momento de pensar mais na morte do que na vida.

Precisamos meditar nas palavras de São Paulo, que nos diz: Nem a maturidade, nem a velhice, nem a vida, nem a morte, nem o sofrimento e nem a dor, pode afastar-nos da nossa fé e separar-nos do amor de Deus, manifestado em Jesus Cristo.

 " Quem confia no Senhor, é forte como uma montanha, nada  o poderá abalar."

                                                                            

 Deus abençoe todos  

 

Agostinho  Gomes  Ribeiro

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 21:21

Quando o Mundo Desaba

por Francisco Gomes, Domingo, 29.06.14

Escutar o noticiário de cada dia, já é muito difícil digerir para quem ouve, imagina para quem vive os fatos, sente na própria pele o que acontece por esse mundo afora.    São acidentes de trânsito, a maioria provocados por motoristas  irresponsáveis, que mais parecem loucos na direção dos carros. Assaltos à mão armada, principalmente a bancos, cujas balas disparadas, sempre deixam rastros de sangue, desastres marítimos, como aquele acontecido no Sul da Itália, ninguém soube quantos morreram nesse naufrágio. São doenças graves, cada vez mais perigosas e de difícil controlo. Pessoas a fugirem de seus países, por causa de governos perversos e corruptos.

Quantas vezes temos pessoas conhecidas e às vezes amigas, envolvidas em tragédias. Hoje vivemos num estado de tensão, que não sabemos o que pode acontecer connosco na próxima esquina. O que fazer, quando " o mundo desaba sobre nós?" Como vamos reagir a esses contratempos? Quando o mundo desaba sobre nós, quando algo de ruim acontece connosco, ficamos atônitos e temos a impressão que o chão nos foge de debaixo dos nossos pés. Não conseguimos entender, como isto foi acontecer connosco?

Sofrer, ficar atordoados, faz parte da realidade humana, porém, não podemos cair no desespero, deixar  de lutar e entregar os pontos ou cair na "depressão". Isto não vai nos levar a lugar nenhum, apenas nos afundará mais na tragédia. Devemos levantar a cabeça, pois é nestes momentos que a nossa fé em Deus, vai funcionar. Procuremos refúgio nas Palavras do Mestre, quando nos diz: "Coragem, eu venci o mundo e vós também podeis vencer. Pois eu estou ao vosso lado."

Muitas pessoas nunca lembram de Deus, mas nestes momentos, são os primeiros a reclamar que Deus os abandonou. Deus nunca abandona ninguém, nos momentos difíceis da vida, quando achamos que Ele está longe de nós, Ele nos carrega nos braços. No entanto, quando acontecem coisas ruins, nós procuramos tirar fora as nossas responsabilidades e colocamos a culpa em Deus pelo acontecido. Se humanamente perdemos o rumo de nossa vida, é nestes momentos difíceis,  que devemos correr para Deus. Pois quem não se aproxima de Deus pela graça, certamente se aproximará pela desgraça.

Um homem, amante da natureza, pediu a Deus uma flor e uma borboleta. No entanto, Deus deu-lhe um "cacto e uma lagarta." O homem ficou triste porque Deus atendera a seu pedido, errado. No entanto, agradeceu aquilo que recebeu. Algum tempo depois, do feio cacto, nasceu uma linda flor e da lagarta surgiu uma linda borboleta. Deus sempre age certo, no momento certo. O caminho que ele nos propõe, é sempre o melhor.

"Por mais que tentemos, jamais conseguimos enganar a Deus, que conhece até os nossos pensamentos."

                                                                                  

Deus abençoe a todos

                                                                              

Agostinho  Gomes  Ribeiro

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 21:15

Minha Aldeia é Todo o Mundo

por cunha ribeiro, Sábado, 28.06.14

Minha aldeia é todo o mundo. Todo o mundo me pertence. Aqui me encontro e confundo com gente de todo o mundo que a todo o mundo pertence. (António Gedeão)

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 00:51

Nenhuma Autoridade Moral para me queixar da atual Câmara Municipal

por cunha ribeiro, Sexta-feira, 27.06.14

 " Duzentos e cinquenta euros para a Associação Prazer da Memória"

 

 Assim deliberou a CMVPA, ou seja, metade do que foi atribuído a outras associações como a de Soutelinho do Mezio e a de Bornes, por exemplo.

 

Apesar das dificuldades, "consegui" a gravação audio do diálogo que terá conduzido a esta deliberação. "Vou" reproduzi-la. Perdoem no entanto a forma meio truncada com que a vou transcrever (Aproveitei apenas o que me pareceu mais pertinente):

 

- Quanto acham que se deve atribuir à Associação de Parada?

- De Parada, que parada? ...kkkkk?!  ( ouve-se uma voz marota meio distante)

- De Parada de Aguiar,  "imbecil" ...quanto?

- Aí uns 250 ...

- Cêntimos? ( voltou à carga o "imbecil"...)

- Euros! ( Disse o responsásvel nº 1).

- Mas, e às outras associações dão o dobro, e mais?! Como justificam tamanha diferença?

- Ora, as outras têm rancho folclórico ... têm grupos corais ... E sei lá que mais, e a de Parada nem um concertinista consegue apresentar...

 

 

Fiquei por aqui, pois os argumentos pareceram-me tão difíceis de contrariar que...

 

E pensando bem, os 250,00 euros do ano passado, alguém os recebeu?  E nem o do ano anterior... Do anterior ao anterior.... Etc.

 

Acresce que pelo que ouvi, esta será a tranche de Junho, havendo outra em Dezembro.

 

Por isso meus amigos da Associação Prazer da Memória, apesar de tudo, bem temos de agradecer ao Sr Presidente da CMVPA, Alberto Machado. Pelo menos não nos  desprezou ao ponto de nada nos dar como o seu antecessor...

 

 

Recebemos menos que os outros, mas recebemos. ( Perdão, vamos receber, que já me pediram um documento para o efeito).

 

Se o Conselho Diretivo do Baldio de Parada de Aguiar o ano transato nos deu Zero, e este ano parece ir pelo mesmo caminho, acham que temos moral para nos queixar da Câmara Municipal?

 

 

CR

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 21:21

Top Páginas - Ontem

por cunha ribeiro, Sexta-feira, 27.06.14

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 08:37

Quando é o próximo jogo de Portugal?

por cunha ribeiro, Sexta-feira, 27.06.14

 

 

  Não quero acordar para a realidade. O Próximo jogo da seleção deve ser no domingo ... Não? Alguém me diz?

 

 

CR

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 00:54

POR ONDE ANDAM VOCÊS?

por Francisco Gomes, Quinta-feira, 26.06.14

Ultimamente tenho me preocupado muito com o passado, apesar de que o que se passou, já se foi. Mas, nós nos apegamos tanto ao nosso passado, quando sentimos que está a extinguir-se a nossa existência, devemos ao menos, deixar um rastro no caminho percorrido. Sim meus amigos, é recordando o passado que vivemos o presente e preparamos o futuro, se ele vier. Por isso, nas horas vagas, tenho revisto o nosso Blogue no seu passado. Tenho olhado com muita atenção, tudo o que foi escrito e as fotos que foram postadas.

Revendo o passado do nosso Blogue, um fato chamou a minha atenção. Por onde andam aqueles textos maravilhosos, que eram escritos pelo António Cândido, Agostinho Rodrigues, Francisco Gomes, Fernando Ribeiro, Cândida Reis, Deolinda Pires, Fátima Monteiro, João Ribeiro e outros. Por acaso acabou a inspiração? Não acredito. Por acaso o Blogue está saturado pelas bobagens que escrevo? Se for isso, eu paro uns tempos. Gostaria de saber os motivos, pelos quais não temos mais esses escritos?

Assim como eu sinto falta desses textos, maravilhosos e instrutivos, carregados de amor pela nossa aldeia, outras pessoas também sentem. Esses textos, estão a fazer falta ao Blogue. Tudo o que aparece escrito, ou é do Cunha Ribeiro ou meu, parece que as pessoas perderam o interesse. Hoje também não vemos mais as fotos de antes, também não lemos mais, aquilo que pessoas importantes para nós, escreveram. Estamos à espera desses escritos tão importantes para o Blogue da nossa Terra. Também precisamos das fotos do Fernando Ribeiro. Eu não quero acreditar, que alguém perdeu o amor por esta terra involuta.

Pessoal, por onde andam vocês? Vamos voltar a escrever, vamos reavivar o Blogue da nossa aldeia? Parada de Aguiar agradece. Não fiquem preocupados com a desunião, quanto mais a gente der valor a ela, mais ela crescerá. Nós sabemos que ela existe, mas quanto mais atenção lhe fôr dada, mais força ela terá. Se cada Paradense amigo, fizer a sua parte, o amor, a paz e a compreensão em nossa aldeia, vão brilhar.  Lembrem-se: "Os cães ladram e a caravana passa."  Estou ansioso para voltar a ler as relíquias do passado, escritas no presente. Vamos á luta, mãos á obra, capacidade e assuntos, sei que não vão faltar. Amor e carinho pela nossa aldeia sei que também não vão faltar.

Escrevam, não  fiquem preocupados com aquilo que vão falar de nós. " É  duro falarem mal da gente, mas é mais duro, sermos tão insignificantes, que ninguém fale mal e nem bem." Escrevam, não se preocupem, pois em árvore que não dá bom fruto, ninguém atira pedras.

" No momento do nosso nascimento, todos somos iguais. Porém, pouco tempo depois, todos somos diferentes."

                                                                       

Deus abençoe a todos

                                                                    

Agostinho  Gomes  Ribeiro

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 21:44

Porque Deus Demora‏

por Francisco Gomes, Quinta-feira, 26.06.14

Deus demora a atender aos nossos pedidos, porque não sabemos pedir. Muitas vezes, Deus demora de propósito, para darmos valor aos nossos pedidos, pois Ele sabe de tudo e de todos, portanto sabe melhor do que nós precisamos, do que nós sabemos o que pedimos.

Muitas pessoas que vivem dentro da Igreja, participam de todos os eventos, ajudam a elaborar programas, acham que devem ser atendidas o mais rápido possível, como se a realidade de Deus fosse a realidade delas. Mas os pensamentos de Deus não são os nossos pensamentos. Nós reclamamos da demora de Deus, como se Ele não presta-se atenção aos nossos pedidos. Nos consideramos mais importantes que os outros e achamos que Deus deve nos atender sempre com preferência. Queremos controlar Deus e ensiná-lo a agir connosco diferente de como age com os outros.

Deus não tem prazer no sofrimento de ninguém, sua demora em atender às nossas preces, não é sinal de esquecimento e nem falta de amor. Se Deus permite que aconteçam fatos estranhos, é para nosso crescimento espiritual. Muitas vezes ficamos ansiosos para resolver problemas e achamos que Deus tem que agir conforme o nosso interesse. Mas Deus nos ensina que a paciência e a resignação devem fazer parte da nossa vida. Deus não nos promete dias sem dor, sem sorrisos, sem tristeza e sem paz. O que ele nos promete é força para vencer as dificuldades e luz para iluminar nossos caminhos. Deus está totalmente fora do nosso plano temporal, material e cronológico.

 Um certo aventureiro, perguntou a Deus: Senhor, quanto vale para Si, um milhão de Euros. Deus respondeu: Vale apenas um centavo. O aventureiro perguntou de novo: Quanto vale para o Senhor um milênio, (mil anos), Deus respondeu: apenas um segundo. O aventureiro, todo euforico, pediu: Senhor, pode me dar um centavo? Ao que Deus respondeu: dou, espera apenas um segundo.

Como vemos Deus está fora dos nossos parâmetros, do nosso tempo e dos valores materiais. Por isso, achamos que Deus demora para atender nossas necessidades. Mas Deus tem o seu tempo, ele nos atende no mesmo valor da nossa fé e da devoção de nossas orações.

Um fato é certo: A quem muito foi dado, muito será cobrado. Nem um só fio de cabelo cai da nossa cabeça, sem o consentimento de Deus.

Portanto, pedi e recebereis, procurai e achareis, batei e a porta se abrirá. Quem  pede, recebe. Quem procura, acha. Quem bate, será atendido. Estes são os princípios vitais da nossa fé.

                       

Deus abençoe a todos

                                                   

Agostinho  Gomes  Ribeiro

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 21:43

Capela de Parada de Aguiar e Rua do Arco, com ef. especiais


Created by Watereffect.net
Created by Watereffect.net


Comentários recentes




IMAGENS DA NOSSA TERRA

CLIQUE NA FOTO PARA ACEDER À GALERIA DE IMAGENS DE PARADA DE AGUIAR parada em ponto grande para imagem de fundo.

GENTE DA NOSSA TERRA

minha imagem para.jpg


subscrever feeds



Pág. 1/17