Created by Watereffect.net Created by Watereffect.net

Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



BLOGUE PARADA DE AGUIAR - Mais sobre mim


Colaboradores - Clique nas fotos para aceder aos textos de cada Colaborador

ela, 2. antonio candido . 8341659518_ecc98db9f2_m . Cândida dos Reis Dias Pinto . minha foto. agostinho ribeiro . agostinho . francisco gomes .

calendário

Agosto 2016

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031


CONTADOR DE VISITAS


contador View My Stats

página de fãs


Pesquisar

 

sitemeter


Google Maps


Ver mapa maior

PARADA DO CORGO

viveiro em 1987


A GRANDE NOTICIA

por Francisco Gomes, Quarta-feira, 31.08.16

Os meios de comunicação anunciaram com grande destaque, a fascinante descoberta da “ Próxima b”. Com todo o respeito à Ciência e aos Cientistas, que dedicaram suas vidas a esta descoberta histórica, eu não me empolguei com a grande notícia, talvez porque  sou um terráqueo, de horizontes limitados.

As vantagens da grande descoberta, não chegam a emocionar, foi o anúncio da descoberta de um novo Planeta, em tudo semelhante à nossa Terra, inclusive com muita água em estado liquido. A descoberta deste Plano b, caracteriza um local para onde se pode fugir, se for insuportável o nosso desencanto  terreno. Mas para que as pessoas querem ir para lá? Provavelmente para fazer lá o que já fizeram aqui, Destruir a natureza, poluir as águas, doces e salgadas.

No nosso Planeta Terra, no inicio também era assim, existia uma natureza exuberante, águas cristalinas, para todos, por todos os lugares. Para dar certo neste novo Planeta, é preciso barrar a entrada nele dos humanos. Aliás, esse novo vizinho, só é “Próxima” no nome, pois fica à distância de 4,2 anos luz, que multiplicado pelo coeficiente, vai dar 9,46 triliões de quilômetros, o que é uma garantia, pois ninguém vai se aventurar a essa viagem interplanetária. Ninguém vai destruir a fauna e a flora, porque é quase impossível alguém chegar lá. Mas a má vontade contra este Novo Mundo, é que tem o nome de mulher, portanto, mais difícil ainda de conquistar.

Mais uma vez peço perdão aos Cientistas, mas a Grande Notícia, não é esse novo Planeta, muito longe do nosso Sistema Solar, mas o Aniversário da grande Professora Cleonice, que no domingo dia 28 de agosto, dia de Santo Agostinho de Hipona, ela completa 100 anos de vida bem vivida. A Professora Cleo como a gente a chamava, lecionava Literatura e Línguas Neolatinas. Era muito amada e respeitada por seus alunos. Foi minha professora de Literatura e Francês. É muito querida e inteligente. Admirada no Brasil e em  Portugal, pelos seus trabalhos em Literatura Medieval e sobre Fernando Pessoa e Camões.

São pessoas como esta que nunca deveriam morrer, são verdadeiras joias colhidas no solo do nosso Planeta. A Professora Cleo, nem deve se lembrar mais de mim, mas eu jamais me esquecerei dela.  Parabéns querida Mestra, chegar ao Centenário é um privilégio que poucos conseguem.

   

Deus abençoe a querida Mestra

                 

Agostinho  Gomes  Ribeiro

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 22:41

A CIDADE OLÍMPICA

por Francisco Gomes, Quarta-feira, 31.08.16

Desde muitos anos a cidade do Rio de Janeiro é uma cidade  Olímpica. Segundo nos conta a história, já em 1565 quando foi fundada, já aconteceram várias provas, como natação, arco e  flecha, corridas de fundo e maratonas. Foi a luta de Estácio de Sá e seus homens, contra os franceses invasores e os índios Tamoios, seus aliados. A vitória de Estácio de Sá, só foi possível, graças à chegada dos índios Temeninós, vindos do Espírito Santo, sob o comando do grande chefe Araribóia, cuja estátua se encontra em Niterói, de frente pra o Rio de Janeiro, a cidade que ajudou a fundar.

Desde que conheço esta cidade, já vi acontecer muitas provas Olímpicas, principalmente nos jogos de futebol nos anos 50 e 60 do século passado. Já se disputava boxe e outros desportos violentos, nas brigas entre torcedores, nas ruas, depois que terminavam os jogos. Muitas provas eram inventadas para fugir da polícia. Naquele tempo só os homens participavam das provas, como frescobol nas areias das praias, jogos de peteca e outros. Por volta dos anos 80, as mulheres também começaram a participar e hoje  lutam e brigam mais que os homens.

Nos 451 anos desta cidade, muitas provas  já foram vencidas, depois de muitas lutas. Já assisti a provas de resistência, de muitas pessoas a enfrentarem filas nos hospitais e em  Postos de Saúde, esperarem até anos para fazerem uma cirurgia. Os alunos ficarem vários meses sem aulas por causa das greves dos professores. Chegam ao fim do ano letivo, os alunos são aprovados e promovidos sem saberem nada. Pessoas a disputar saltos para fugirem dos buracos nas ruas. Disputar corridas para fugirem de assaltos, ou correrem na praia atrás dos pivetes que roubaram seus pertences.

Nesta cidade que se diz maravilhosa, as pessoas precisam travar uma luta de  vida ou morte contra os mosquitos, para fugir de várias doenças. Praticar maratonas, para fugir dos arrastões que acontecem por todos os lados. Ou então, ser assaltado dentro dos transportes coletivos. A cidade do Rio de Janeiro tem aproximadamente quinze milhões de habitantes, mas tem muitos ladrões, a gente corre perigo de ser assaltado em qualquer lugar. É por isso que se diz: “ Somos todos Olímpicos.”

      

Deus  abençoe a todos

             

Agostinho Gomes  Ribeiro  

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 22:38

DATA DO PRÓXIMO CONVÍVIO

por cunha ribeiro, Quarta-feira, 31.08.16

Para se evitarem queixas (eventuais), no mês de agosto do próximo ano, o Convívio deve ter lugar em que dia:

 

a) 6 de agosto (1º domingo)?;

b) 13 de agosto ( 2º domingo)?

 

Gostava de ver a vossa resposta aqui registada ( na caixa de comentários) ou no facebook ( páginas: "Associação Prazer da Memória", " Blog Parada de Aguiar", ou a minha "Francisco Cunha Ribeiro").

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 15:35

REUNIÃO DO CDBPA

por cunha ribeiro, Quarta-feira, 31.08.16

Pelos vistos estará agendada uma reunião do CDBPA (Conselho Diretivo do Baldio de Parada de Aguiar) para o dia 17 ( ou 18 ?) de SETEMBRO do ano corrente.

Vou avaliar (à exaustão) se poderei e/ou deverei estar presente.

É que estar nessa reunião e não dizer o que penso é como ir a um passeio e estar de olhos vendados. 

- Mas -  dir-me-ão -  quem te impede de dizer o que pensas? 

- Os efeitos perversos de certas verdades que "doem", digo eu...

 

E depois há a experiência anterior de um cidadão da minha terra que se queixa aberta e abundantemente de no ano passado ter dito "algumas verdades" na assembleia e ninguém o ter apoiado naquilo que disse. E como essa pessoa não é nada desmiolada e bastante honesta e verdadeira, já estou de pé atrás...

 

Mas há outros factores que irão pesar na decisão ... 

 

Por isso, se não for, peço a quem tem apreço por mim, que me tente entender...

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 14:29

CONVÍVIO PRAZER DA MEMÓRIA, AGOSTO, 2016 - BALANÇO (PROVISÓRIO)

por cunha ribeiro, Quarta-feira, 31.08.16

Menos participado que outros, o Convívio Prazer da Memória de Agosto, 2016, não deixou, apesar de tudo, de se levar a efeito.

Quero deixar claro que, para o efeito, foram determinantes as vontades e ação de três pessoas: João de Sousa Ferreira, Cândida de Jesus Reis e Deolinda Pires Cunha.

O primeiro, porque ao longo deste ano foi percebendo um certo "desgaste", no seio da Associação, e resolveu intervir diretamente dando um novo impulso à atividade associativa da "Prazer da Memória". Ao disponibilizar-se para o trabalho que a mim mais me tolhia os movimentos - refiro-me à burocracia da Associação, tão indispensável quanto trabalhosa e desgastante para quem a tem em mãos - o João de Sousa Ferreira não permitiu que a nossa Associação esmorecesse. Está pois de parabéns, o novo tesoureiro da APM.

A Cândida dos Reis Pinto e a Deolinda Pires Cunha surgiram em plena forma no período de férias e com vontade de trabalhar para que o convívio se mantivesse. E fizeram-no com entusiasmo, conseguindo levar a bom porto o essencial da nossa festa anual.

Convém registar também a imprescindível colaboração, mais uma vez, do José Benjamim Gomes, inigualável na sua repetida tarefa de cobrir o recinto para que os convivas não sintam à hora de almoço o desconforto da torreira de agosto. Aliás, muito bem coadjuvado pelo Manuel Pinto, pelo João Machado Ribeiro, pelo José (da Agostinha),  e pelo marido da Adelaide Cunha (o Joaquim). Estes dois últimos  que me perdoem identificá-los assim, não significando isso qualquer menosprezo, como bem sabem.

A surpreender pela positiva com a sua colaboração está a Isaura dos Anjos Moura que, pelo segundo ano consecutivo, esteve de corpo e alma na nossa festa. A Emília Pinto também se revela cada vez mais ativa e interessada no sucesso do nosso convívio.

Apesar de o ter já mencionado nas redes sociais, quero mais uma vez agradecer o apoio do Conselho Diretivo do Baldio de Tourencinho, e do Lar Srª do Extremo, na pessoa do seu presidente, Manuel Agostinho Borges Machado.

A Câmara Municipal de Vila Pouca de Aguiar, apesar de estarmos em tempo de Festas da Vila, não deixou de, também ela, colaborar connosco, com destaque para o Palco que nos foi gentilmente cedido.

Do Conselho Diretivo do Baldio paradense tivemos uma ajuda monetária no valor de 500 euros. Note-se, porém, que, embora tenhamos acolhido com muito agrado os/as utentes do Centro de Dia de Parada de Aguiar - o que nos permitiu homenagear a Srª Emília Pires - a despesa com o almoço dos mesmos ficou a cargo do nosso orçamento, ou, se assim se quiser entender, dos quinhentos euros vindos do Conselho Diretivo, que assim, apoiou a nossa Associação apenas na parte que não inclui esse encargo. Como é sabido, nenhum dos utentes é sócio da APM, o que em condições normais levaria ao pagamento de 10 euros cada. Isto tinha que ser aqui explicado para que os nossos sócios presentes e não presentes tenham conhecimento dos factos.

 Termino este pequeno e provisório balanço agradecendo também aos Bombeiros de Vila Pouca de Aguiar, na pessoa do seu presidente, José Eduardo Quinteiro, a cedência do seu pavilhão para o jogo de futebol de salão que já é tradição realizar-se por ocasião do nosso convívio. Agradecer também a participação da sua equipa como adversário da APM.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 13:20

O Esboroar do passado

por cunha ribeiro, Segunda-feira, 29.08.16

A minha aldeia já não é os meus pais a falarem, almoçarem e jantarem comigo. O meu pai deixou de estar nela em 2012 e a minha mãe em 2015. Agora, em Agosto, tenho outra mãe que adoptei à minha maneira: é a minha irmã. Pois ela é quem mais é capaz de substituir a original, aqui na terra. Também gosta de mim, de verdade; também sente o prazer  dos meus sucessos, e o desprazer das minhas fraquezas. 

A minha aldeia já não é as minhas brincadeiras de infância, e a felicidade que delas brotava. Mas ainda vai sendo o refúgio de amizades que vão perdurando e renascendo.

É difícil ser de uma aldeia sem os seres que nos fizeram ser dela. Vou tentando fingir que os vejo e oiço quando estou lá. Por vezes o fingimento parece a realidade, e eu deixo-me envolver de memórias e flutuo nelas como num mar morto de águas vivas.

Há uma ponte entre mim e a minha aldeia. Em agosto voltei a atravessá-la algumas vezes, mas senti que o tempo a vai corroendo, num permanente e (in)sensível esboroar do passado.

 

FCR

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 15:49

O NOTÍCIAS DE AGUIAR ESTEVE LÁ

por cunha ribeiro, Domingo, 28.08.16

not aguiar 001.png

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 14:03

CIDADE QUE ME SEDUZ

por Francisco Gomes, Quarta-feira, 24.08.16

A cidade do Rio de  Janeiro é mundialmente conhecida como “Cidade Maravilhosa”. E com justiça, realmente, é uma cidade muita bonita e não existe no mundo outra com as mesmas características, é cercada de belezas naturais por todos os lados, é a única cidade no mundo que tem uma floresta no meio, feita pelo Criador, não por mãos humanas.

Conheço esta cidade há 66 anos, desde 1950 do século passado. É cercada de morros por todos os lados. Na década de sessenta, todos os morros eram florestas, não se viam favelas na Cidade. A Rocinha, a maior favela da América Latina, eu conheci como uma imensa horta, uma “roça”, não tinha um barraco. Fui muitas vezes lá comprar verduras, para o restaurante que eu trabalhava. Naquela imensa plantação, trabalhavam três portugueses, que vendiam a verdura colhida na hora. No inicio da década de 70, por causa da seca no Nordeste, os morros foram invadidos e começaram as favelas no Rio de Janeiro.

Construí minha casa numa rua de acesso a um morro, naquele tempo, não existia nenhum barraco, hoje está cheio por todos os lados. Na história da cidade diz que todos os morros eram particulares, como a cidade é mais baixa do que o nível do mar, a Prefeitura desapropriou todos os morros, para que ali não existissem construções, somente florestas.

Virou propriedade pública, não é de ninguém invadiram e hoje essas favelas é o maior problema da cidade.

Foram essas favelas que transformaram a cidade na mais violenta do mundo. A partir de 2008, começaram a fazer quartéis de polícia no interior dessas favelas para combater o tráfico. A partir daí, as maiores vítimas são os próprios policiais. Em 2016, de janeiro a julho, foram assassinados 70 policiais, uma média de dez por mês. O povo do Rio de Janeiro, também é relaxado e não têm amor pela cidade. Invadem a floresta para construírem mais barracos, jogam lixo por todo o lado. A Baia da Guanabara é o lugar mais poluído do mundo. A Cidade é cortada por vários rios, onde jogam todo o tipo de lixo. Infelizmente, acompanhei a degradação de uma cidade tão linda. Hoje a cidade tem muitos Túneis e muitos Viadutos.

Todos os dias de manhã, olho para o Corcovado, para confirmar se o Cristo ainda está lá. Qualquer dia, Ele não vai aguentar tanta bandalheira e vai sumir. Vai procurar um lugar mais seguro.

   

Deus abençoe a todos

       

Agostinho  Gomes  Ribeiro

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 21:30

A TRAVESSIA DA VIDA

por Francisco Gomes, Quarta-feira, 24.08.16

O nosso Planeta Terra é uma bola, assim nós imaginamos que partindo de um ponto, seguindo numa linha reta, voltaremos com toda a certeza ao ponto de partida, depois de atravessarmos toda a superfície do Globo Terrestre.

A Travessia da nossa vida, segundo a nossa imaginação, também é assim. Diz até a sabedoria popular que uma pessoa quando é velho, volta a ser criança. Realmente esta travessia da vida é como um grande rio, cheio de pedras, para nós atravessar-mos, pisando nessas pedras. Estas pedras representam os nossos problemas que enfrentamos no decorrer da nossa vida. Em alguns  lugares estas pedras estão cobertas de água, outras estão movediças ou escorregadias. É um risco constante a travessia do rio da nossa vida.

Quando nós temos fé, Deus nos dá um “Cajado”, para facilitar a nossa travessia. Este cajado nos garante a tranquilidade, proporciona melhor equilíbrio durante a caminhada, assim, não nos sentimos perdidos e nem inseguros, pois o cajado é a nossa segurança total. Permite-nos diminuir o esforço nas subidas, torna o nosso corpo mais leve, não sobrecarregando as articulações. Serve de apoio ao passar de uma pedra para a outra. Ajuda-nos ainda a manter um bom ritmo de caminhada, pois se transforma numa alavanca de nossa motivação.

Nos lugares onde há risco de queda, é um apoio seguro. Com ele podemos ainda procurar as pedras cobertas pela água, permitindo-nos pisar em local firme. Protege nossos joelhos e nossos tornozelos, do peso em cima deles. Com a ajuda deste cajado, podemos andar distâncias maiores e com mais conforto. Serve ainda para ser usado em encontros indesejados, principalmente, com animais nocivos á vida.

O cajado do qual estamos a falar, que nos ajuda em todos os momentos da nossa caminhada, é a Palavra de Deus que vivida com ardor, nos dá a sensação de maior vigor e apoio, na Travessia da nossa Vida. Esta Palavra nos socorre nos auxilia, nos apoia, nos corrige e nos dirige. Assim, de muitas formas o cajado é o melhor auxilio que podemos usar na travessia da vida, para ser calma e segura.

Quando somos crianças, adormecemos na sala, mãos carinhosas nos levam para a cama e no dia seguinte acordamos no nosso quarto. Ao final da nossa Travessia, adormecemos neste mundo, mãos angelicais nos transportam, nós acordamos junto a Deus, na plena felicidade. É isso que nos diz a nossa fé.

  

Deus abençoe a todos

        

Agostinho Gomes  Ribeiro

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 21:26

UM MISTÉRIO DE AMOR

por Francisco Gomes, Quarta-feira, 17.08.16

Um grande mistério fundamenta o Cristianismo e o distingue de todas as outras religiões existentes no mundo, inclusive a maior de todas elas, a Muçulmana, que predomina principalmente na Ásia e na África. É o Mistério da Santíssima Trindade, que é manifestado ao Homem e prova que Deus não é um Ser solitário, mas uma Comunidade de Amor, sob o sinal da misericórdia infinita e eterna. A Santíssima Trindade é considerado o maior Mistério do Cristianismo, pois sintetiza o Amor do Pai pelo Filho e gera a figura do Espírito Santo.  “ O Pai é Deus, o Filho é Deus, o Espírito Santo é Deus. Porém, não são três deuses, são Três Pessoas Distintas, mas um só Deus Verdadeiro.”

Os pagãos adoravam uma infinidade de deuses, (o Politeísmo), somente o Povo Hebreu, adorava um único Deus, ( o Monoteísmo). Esta revelação de que Deus é Uno e Trino, nos foi trazida por Jesus Cristo e caracteriza a Grande Revelação. A filosofia grega apresentava Deus como um “motor” imóvel, que não se importava com a vida do ser humano. Porém, o Deus de Israel, começa a se manifestar aos Profetas, até que aconteceu a grande revelação, apresentando Deus como um Pai que é Amor e que se preocupa com a realidade humana e que conhece suas fadigas e dores.

O Pai enviou seu Filho ao mundo, para viver no meio dos homens, pelos quais entregou sua vida, num gesto de profundo Amor. No deserto o povo Hebreu, já  havia experimentado o amor de Deus, com prodígios e milagres, caminhando com eles, até introduzi-los, na Terra de Canaã, a Terra Prometida. Jesus Cristo leva à plenitude a revelação de que Deus é uma Trindade de Amor. E uma perene Comunhão de um Mistério Trinitário. Esta  revelação derruba as teses filosóficas, segundo as quais, Deus seria uma projeção do homem, isto é, o homem teria criado o conceito de Deus, a partir da sua própria condição humana. Mas o homem jamais teria capacidade de conceber um Mistério tão impressionante como o da Santíssima Trindade. Viver esse Amor Trindade, é viver na alegria e na certeza de que não será em vão, a luta por um mundo mais fraterno e mais justo.

Santo Agostinho, o maior filósofo que a humanidade já conheceu, relutou muito para entender este Mistério. Chegou à conclusão que o ser humano, jamais terá condições de entender os Mistérios de Deus. Pois se é um Mistério, é para ser acreditado e vivido, jamais explicado.  Ainda que houvesse uma explicação possível, o Mistério deixaria de existir, passaria a ser considerado um fato normal, assim como Deus, deixaria de ser Deus, para se transformar num acontecimento histórico. Por mais que a Ciência se preocupe, por mais que se esforce, nunca vai encontrar qualquer explicação para os Mistérios de Deus.

 Em nossa vida religiosa, temos o Dogma e o Mistério. O Dogma é uma verdade tirada da Bíblia, explicada, para ser acreditada. O Mistério é um fenômeno que só a Deus pertence e que nunca será explicado, mesmo porque não tem explicação.

      

Deus abençoe a todos

           

Agostinho  Gomes  Ribeiro

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 22:52

Capela de Parada de Aguiar e Rua do Arco, com ef. especiais


Created by Watereffect.net
Created by Watereffect.net


Comentários recentes




IMAGENS DA NOSSA TERRA

CLIQUE NA FOTO PARA ACEDER À GALERIA DE IMAGENS DE PARADA DE AGUIAR parada em ponto grande para imagem de fundo.

GENTE DA NOSSA TERRA

minha imagem para.jpg


subscrever feeds



Pág. 1/2