Created by Watereffect.net Created by Watereffect.net

Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



BLOGUE PARADA DE AGUIAR - Mais sobre mim


Colaboradores - Clique nas fotos para aceder aos textos de cada Colaborador

ela, 2. antonio candido . 8341659518_ecc98db9f2_m . Cândida dos Reis Dias Pinto . minha foto. agostinho ribeiro . agostinho . francisco gomes .

calendário

Setembro 2011

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930


página de fãs


Pesquisar

 

Google Maps


Ver mapa maior

PARADA DO CORGO

viveiro em 1987


E o rapaz bonito, famoso, e rico? Que diz ele ao naufrágio da Madeira?

por cunha ribeiro, Domingo, 25.09.11

 

 Será que o belo ( ah,ah), rico e famoso RONALDO não tem nada a dizer sobre a Madeira? Achará bem? Achará mal?  Que pensará ele de Alberto João?  Que não bate tão  bem (d/a) bola, como ele?

 

CR

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 14:02

AS VINDIMAS

por Francisco Gomes, Domingo, 25.09.11

 

Ao ler no post do Senhor Cunha Ribeiro, ( que pode ler carregando, aqui )explicando como se amassam as uvas para se fazer o vinho, eu me recordei do tempo das vindimas, no Douro, para onde eu fui dois anos seguidos.

 

No meu tempo de adolescente, formavam-se em várias aldeias, grupos de homens e mulheres para ir às vindimas no Douro.

Geralmente, uma pessoa da localidade chamava as pessoas, esta pessoa, acompanhava o grupo, era o capataz. Ele tratava com um determinado produtor de vinho, e levava o grupo para casa desse produtor, para participarem das vindimas e amassar as uvas nos lagares. Estes grupos chamavam-se "Camaradas". Eram compostos de  sete a oito mulheres, dois a três homens e um rapaz adolescente. As mulheres faziam a vindima, os homens carregavam os cestos para as dornas, e o rapaz apanhava as cestas cheias de uvas e despejava nos cestos.

 A dorna era como uma pipa grande, cortada no meio e montada num carro de bois. Levava, aproximadamente, cinquenta cestos de uvas. Esta dorna levava as uvas para os lagares, ali eram despejadas e colocadas dentro dos lagares, na posição de serem amassadas. As vezes que fui às vindimas foi para Cabeda, perto de Vilar de Maçada.

 As pessoas dormiam todas no chão, deitados na mesma posição, num lugar chamado "Cardanho". O rapaz, geralmente, fazia a divisão entre os homens e as mulheres. O capataz ficava noutro alojamento, bem mais confortável.

De manhã, tocava uma sineta, todos levantavam e lavavam o rosto numa pia cheia de água. Cada um recebia um pedaço de pão, quem quisesse podia tomar uma bagaceira. Todos iam para as vinhas. Ao meio dia, o almoço ia na vinha. Era um tacho muito grande, cheio de comida tudo misturado. As pessoas sentavam formando uma roda, e comiam  todos do mesmo tacho. Quem fosse mais comilão, comia mais que os outros. À noite iam todos para casa, e numa cobertura ao lado da casa era colocada a ceia do mesmo jeito.

Após a comida, iam todos para o lagar. A jornada chamava-se "meia-noite", eram quatro horas, mergulhado no vinho, quasi até à bunda. Este trabalho era extra, só ganhava quem trabalhasse. Quem não quisesse entrar no lagar, podia ficar em casa, mas não ganhava. Durante as quatro horas de trabalho, se alguém tivesse necessidade de sair, não entrava mais, só ganhava o tempo que trabalhou. Por volta da meia-noite, todos cansados, iam para o "Cardanho", dormir, pois no dia seguinte era a mesma rotina.

 Assim era a luta durante duas semanas. Quando terminava a vindima e as uvas amassadas e grande parte do vinho recolhido aos tonéis, cada um recebia a sua mixaria, e voltavamos felizes para nossa casa.

Por dois anos eu participei desta aventura.

Abraços para todos

 

Agostinho Gomes Ribeiro 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 10:57
editado por cunha ribeiro às 13:37

Especialistas QREN

por cunha ribeiro, Domingo, 25.09.11

 

 Os "especialistas QREN" são todos aqueles que aperfeiçoaram capacidades e desenvolveram técnicas de saque legal de dinheiros públicos, de origem nacional ou estrangeira. Estes especialistas cresceram e ramificaram à sombra dos ministérios e das câmaras municipais. Mandaram fazer autoestradas, estradas, rotundas, túneis, pontes, praças, pracetas, e ruas com dinheiro do QREN vindo da Europa, e com dinheiro da Europa, vindo do QREN.

 Os grandes  "especialistas QREN" têm sido  os presidentes de Câmara.  Fizeram obras de vulto  nas suas cidades e vilas, e, paralelamente, desenvolveram o comércio, a indústria e os serviços,  com natural enfoque e preocupação nas necessidades de alguns amigos e familiares.

 Também foi graças a estes grandes especialistas que o sector bancário cresceu como nunca nas últimas décadas, pois deram grande incremento ao sector, contraindo empréstimos públicos com juros e amortizações a longo prazo, e abrindo contas particulares a juros elevados de curto prazo, livres de impostos.

 Como vêem devemos muito aos especialistas QREN. E apesar disso a nossa ingratidão para com eles é cada vez mais notória e, arrisco dizê-lo, incompreensível. Basta ver o que está a acontecer com o maior especialista QREN de que há memória em todo o Portugal - o Presidente do Governo Regional da Madeira...

 

CR

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 00:59

Capela de Parada de Aguiar e Rua do Arco, com ef. especiais


Created by Watereffect.net
Created by Watereffect.net


Comentários recentes




IMAGENS DA NOSSA TERRA

CLIQUE NA FOTO PARA ACEDER À GALERIA DE IMAGENS DE PARADA DE AGUIAR parada em ponto grande para imagem de fundo.

GENTE DA NOSSA TERRA

minha imagem para.jpg


subscrever feeds