Created by Watereffect.net Created by Watereffect.net

Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



BLOGUE PARADA DE AGUIAR - Mais sobre mim


calendário

Fevereiro 2012

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
26272829


Pesquisar

 

PARADA DO CORGO

viveiro em 1987


COMO É GOSTOSO RECORDAR‏

por Francisco Gomes, Domingo, 05.02.12

 

Chegou fevereiro, o mês mais curto do ano. (Este ano tem 29 dias). Geralmente é o mês do Carnaval e também do inicio da Quaresma. Tempo de reflexão e de meditação.

            Não sei como se brinca o Carnaval  (Entrudo)  na nossa aldeia, nos dias atuais. No tempo da minha infância, já se brincava muito pouco. Apareciam alguns mascarados, (Caretos), que a gente sabia quem eram, mas  tinhamos pavor deles. Eram geralmente o Senhor Manuel Benedito e o seu filho, José Benedito. Corriam pelas ruas,  vestidos com aquele monte de farrapos. Às vezes, mostravam o  rabo para as pessoas. Brincava-se com água e com cinza. Naquele tempo frio, a gente tomava banho gelado e nem pensava em pneumonia.

            Terminado o Carnaval, vinha a quarta feira de cinzas. As beatas, corriam a Soutelo, receber as "Cinzas" do Pe. Paulino. Com o inicio da Quaresma os rapazes se preparavam para cantar o Terço pelas ruas da aldeia. Começavam na Capela do Santo com o Pai Nosso. Marcavam então dez Ave-Marias, cinco na  rua principal e cinco na rua de tras. Deveriam chegar até à Capela do Fundo, mas como  tinham medo dos fantasmas que diziam aparecer por lá, voltavam da porta dos Rijotos. Cantavam a última Ave-Maria à porta do Senhor José Penato. Encerravam o mistério, com a Salve Rainha, junto à Capela do Santo. Faziam esta  cantoria durante quinze dias, pois o Rosário tem quinze misterios.  Cada noite eles cantavam um mistério.

            Ao cabo de quinze dias, era feita a "Serragem da Vélha". Escolhiam a mulher mais velha da aldeia para "Serrar" No  dia marcado, era feito um testamento das particularidades da "Velha" e deixados para as raparigas mais sapecas da aldeia. Faziam um enorme boneco de palha e farrapos, colocavam numa padiola, cobriam com um pano preto, davam uma volta à aldeia, proclamando o testamento e a  chorar pela "Avó".

            Duas Velhas que foram serradas marcaram muito a minha lembrança. Foi a Tia Angelina Ricota, que morava no Iteiro, e a Tia Cândida Patricia que morava em frente ao Zé Maria, aquele da perna de pau. A Tia Angelina,  quando soube que ia ser serrada, começou a juntar pedras dentro de casa. Quando os rapazes estavam reunidos a chorar pela "Avó", ela e a filha, começaram a atirar-lhe pedras, eles fugiram do local. A Tia Cândida Patricia, alguns dias antes, arranjou um grande Pinico, começou a fazer diariamente suas necessiades. Quando os rapazes estavam reunidos, debaixo de sua varanda, a chorar pela "Avó", ela de cima da varanda, despejou o pinico em cima deles.

          Haviam ainda umas beatas, que altas horas da noite, "Encomendavam" as almas. Aqueles cantos fúnebres, que deixavam a gente com medo. (Quantas almas choram e clamam e dão gritos no inferno, pelas nulas confissões que neste mundo fizeram)

Não sei se ainda existe esta  tradição! Mas me traz muitas saudades

 

Abraços para todos                            

 

Agostinho Gomes Ribeiro

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 21:31
editado por cunha ribeiro às 22:38

Mais uma revisão da Lista de Associados

por cunha ribeiro, Domingo, 05.02.12

ASSOCIADOS QUE JÁ RENOVARAM:

 

 

 

1. ADELAIDE ALVES CUNHA

2. ADELAIDE CRISTINA CUNHA RIBEIRO

3. BELARMINO CAMPOS

4. AGOSTINHA CUNHA

5. AGOSTINHO RODRIGUES

6. ALFREDO CORREIA COSTA SANTOS

7. ANA SOFIA DIAS GONÇALVES FERREIRA

8. ANTÓNIO CÂNDIDO ALVES CUNHA

9. AUGUSTO GOMES

10. CAMILLE LECOUVEY

20. CÂNDIDA REIS DIAS PINTO

21. CÁTIA DIAS PINTO

22. CÉLIA RIBEIRO

23. DEOLINDA PIRES CUNHA

24. DEOLINDA REIS DIAS

25. DIAMANTINO RIBEIRO

26. EDMA RIBEIRO

27. EMÍLIA GONÇALVES  PINTO

28. INÊS CUNHA

29. OTÍLIO FERREIRA

30. FRANCISCO CUNHA RIBEIRO

31. FRANCISCO JOSÉ GOMES

32. ISABEL ALVES CUNHA

33. ITELVINA ALVES CUNHA

34. JOÃO B. MACHADO RIBEIRO

35. JOÃO FRANCISCO FREITAS

36. JOÃO MANUEL PINTO

37. JOSÉ BENJAMIM GOMES

38. MANUELA GOMES

39. MANUEL AGOSTINHO CAMPOS

40. MANUEL JOAQUIM RIBEIRO

41. MANUEL PINTO

42. MANUEL ALMEIDA

43. MARIA DE FÁTIMA MONTEIRO

44. MIGUEL ÂNGELO GONÇALVES CORREIA DA SILVA

45. MIGUEL MOREIRA

46. ORLANDO BORGES BRANCO

47. FRANCISCO TEIXEIRA

48. JOSÉ CORREIA DE CAMPOS

49. CÂNDIDA DOS ANJOS CAMPOS

50. JOSÉ LUÍS

51. MARIA DA CONCEIÇÂO GONÇALVES

52. JOSÉ PORTELINHA

53.  ESPOSA DO JOSÉ PORTELINHA

54. MARIO  VILAS DE AZEVEDO

55. MARIA DE JESUS GONÇALVES COSTA AZEVEDO

56. JAIME COSTA

57. TERESA CUNHA

 

 

 

                             

 

 

 

 LISTA DE TODOS OS ASSOCIADOS DE "O PRAZER DA MEMÓRIA":

 ( Desde  2009/2010 - 2010/2011 -  até 2011/2012)

 

1. António Cândido Alves Cunha

2. João Manuel Pinto

3. Francisco Cunha Ribeiro

4. João Baptista Machado Ribeiro

5. José Benjamim Gomes

6. António Joaquim Pereira Dias

7. Manuel Pinto

8. Belarmino Correia de Campos

9. Manuel Agostinho Campos

10.Manuel Reis Dias

11.Aprígio Pereira Teixeira

12.Agostinho Rodrigues

13.Francisco Pereira Teixeira

14. José Correia de Campos

15. Cândida Reis Dias Pinto

16. Deolinda Reis Dias

17. Agostinha Cunha

18. Célia Ribeiro

19. Deolinda Pires Gomes

20. Edma Ribeiro

22. Adelaide Cristina Cunha Ribeiro

23. Teresa Alves Cunha

24. Maria de Fátima Monteiro

25. Maria Fernanda Cardoso

26. Emilia Gonçalves Pinto

27. Cândida dos Anjos Dias Campos

28. José Portelinha

29. Alfredo Correia Costa Santos

30. Cátia Dias Pinto

31. Manuela Gomes

32. Ana Sofia Dias Ferreira

33. Otílio Manuel Fernandes Ferreira

34. Carina Dias Gonçalves Esteves

35. Ilídio Santos

36. Ana Santos

37. Francisco Costa

38. Maria Odete Fernandes

39. Mário Vilas Azevedo

40. Maria de Jesus Costa

 

41. ADELAIDE CRISTINA GOMES

42. ÁLVARO SANTOS MOTA

43. ANTÓNIO ALMEIDA GONÇALVES

44. ANTÓNIO JOSÉ DE SOUSA CATITA

45. ANTÓNIO MANUEL LOPES PEREIRA

46. ARMINDO ALVES DA COSTA

47. CAMILLE LECOUVEY

48. CÂNDIDA PIRES PEREIRA

49. CARLOS DOMINGUES

50. CRISTINA ALVES CUNHA

51. DIAMANTINO RIBEIRO

52. DOMINGOS PIPA REGUENGO

53. ÉDITH LECOUVEY

54. ETELVINA PORTELINHA ALVES

55. FERNANDA GOMES DIAS

56. FRANCISCO JOSÉ GOMES

57. HELDER MARTINS PIPA

58. IDALINA GOMES DIAS

59. INÊS CUNHA

60. ISABEL PORTELINHA

62. JOÃO FREITAS GOMES

63. JOAQUIM RODRIGUES CATITA

64. JOSÉ AUGUSTO GOMES

65. JOSÉ CEREJO

66. JOSÉ LUÍS

67. MADALENA RIBEIRO PIPA

68. MANUEL JOAQUIM RIBEIRO

69. MANUEL ALMEIDA

70. MIGUEL ÂNGELO CORREIA DA SILVA

71. MIGUEL ANGEL MOREIRA

72. MARIA CEREJO

73. MARIA DA CONCEIÇÃO DIAS

74. MARIA FERNANDA DIAS MACHADO

75. ORLANDO BORGES BRANCO

76. PHILIPPE LECOUVEY

77. SANDRINE ALVES  CUNHA DOMINGUES

 

78. Manuel Bilório

79. Bruno Pires

80. Asdrúbal Couto

81. Firmino Ribeiro

82. Alfredo Ribeiro

83. Rui Ferreira

84. Avelino Ferreira

85. João Ferreira

86. Edite Ferreira

87. Maria Goreti Ferreira

88. José Augusto Pereira

89. Maria Guiomar

90. Aníbal Cunha

91. Carmim Taveira

92. Emanuel Gomes

93. Emília Branco

94. Fernando Gonçalves

95. Serafim Pipa

96. Elvira Machado Pipa

97. Duarte Reis Dias

98. Albino Ribeiro

99. António Alves

100. Amélia Alves

101. Angelina Ribeiro

102. José Correia de Campos ( primo)

103. Paula Maria Medeiros

104. António Monteiro

105. Maria Helena Lopes Pereira

106. José António Rodrigues Carvalho

107. António José Nunes dos Reis

108. Manuel Rodrigues Lopes

109. Maria Luisa Fernandes Sousa Teixeira

110. João Albino Moreira

111. Maria da Conceição C.P. Machado

112. Daniel Fonte Machado

 

  FCR

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 19:01

Mais uma Sondagem de Opinião aos paradenses

por cunha ribeiro, Domingo, 05.02.12

 

  Como sabem, foram-se realizando algumas obras em Parada de Aguiar, desde há uns anos a esta parte, sob a alçada de uma Cãmara e Junta pertencentes ao PSD.

  Por mim, parece-me bem fazer-se um balanço sobre a obra feita, para, nas urnas, aquando das eleições, se poder escolher o candidadto que dê maiores garantias de fazer progredir o Concelho, a freguesia, ou a aldeia.

 Neste caso particular, é ao nível da aldeia de Parada de Aguiar que nos colocamos.

 Escolhemos dois grupos de três obras para as pessoas votarem naquele que acham ter sido o mais proveitoso, entre os dois, para a comunidade paradense.

  Se quiserem podem também justificar a vossa escolha, clicando onde está escrito, a verde, "view resultats", e escrevendo no quadrado que aparece para o efeito.

  Está aberta a votação.

 

FCR

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 14:22

"Esta é uma sociedade organizada pelos ricos para defender os ricos" - Carlos Pimenta

por cunha ribeiro, Domingo, 05.02.12

Fraude

Economia paralela vai crescer com degradação da classe média

05.02.2012 - 09:27 Por Lusa

Portugal tem elevada vulnerabilidade à fraude no contexto europeu Portugal tem elevada vulnerabilidade à fraude no contexto europeu (Enric Vives-Rubio (arquivo))
O presidente do Observatório de Economia e Gestão de Fraude considera que a política de austeridade, a degradação da classe média e o agravamento das desigualdades sociais vão aumentar as fraudes e a economia paralela. A situação que o país atravessa deverá ainda “aumentar a economia ilegal e a criminalidade em geral”, disse Carlos Pimenta.

Para este especialista, Portugal é um país de “reduzida vulnerabilidade” à fraude, em comparação com todos os países do mundo, mas de elevada vulnerabilidade no conjunto europeu”. “O novo-riquismo que se apossou das populações urbanas portuguesas e a ideia de que somos um país de brandos costumes, uma legislação pouco inteligível e o mau funcionamento do sistema de justiça, a posição geográfica do país e as grandes desigualdades económicas e sociais – maiores que em muitos outros países da Europa – o próprio ambiente favorável à fraude fiscal podem fazer parte da lista dos factores que conduzem à posição mais desfavorável no contexto europeu”, disse.

Defendendo que “há vários tipos de fraude”, Carlos Pimenta afirmou que “a falta de confiança entre os cidadãos e o Estado, e a promiscuidade entre cargos empresariais e públicos de uma reduzida elite política e económica facilita e estimula a fraude fiscal”.

Questionado sobre os sectores da sociedade portuguesa mais atingidos pela fraude, Carlos Pimenta refere a falta de elementos para uma resposta concreta.

“Certamente que há branqueamento de capital no futebol, que a fraude urbanística rende milhões, que a fraude fiscal é praticada por quase todos os ‘senhores do poder económico’, que a corrupção se alastra nos meios políticos com grande impunidade, que os sectores financeiros são particularmente propensos à fraude e aos negócios inadequados, mas também há outros espaços de fraude que não conseguimos hoje enunciar porque não temos informação”, adiantou.

Para Carlos Pimenta, “o Estado tem sempre possibilidade de combater a fraude, pelo exemplo ético e mobilização social, pelo respeito pelas liberdades e existência de uma informação independente e de investigação, pela legislação que gera ou não gera, pela eficácia da regulação e repressão, pelos meios financeiros e humanos disponibilizados para o combate à fraude”, entre outros.

Mão leve para os ricos

Sobre a justiça, o mesmo responsável considera que quem pratica uma fraude tem “maior probabilidade de ser bem tratado” do que quem comete “um crime de rua”. “Grande parte da fraude é cometida por pessoas de elevado estatuto social” (crimes de colarinho branco) e “as razões para essa diferença de tratamento são imensas”, sendo “uma consequência de se viver numa sociedade dirigida e organizada pelos ricos e para os ricos”.

“O centro do poder está na riqueza e não nos votos, particularmente quando temos um Estado-mercado, um Estado que se comporta como o mercado e que se subordina a este”, sustenta. O observatório estima que, em 2010, a economia não registada rondou os 32.183 milhões de euros.

Carlos Pimenta acredita que há razões para a opinião pública considerar que os autores das grandes fraudes saem impunes das mesmas. “Em Portugal, a frequência com que uma ‘elite’ atravessa as ‘portas giratórias’ entre o negócio e a política, a frequência com que a hipótese de grandes fraudes -- incluindo a corrupção -- passam sem qualquer investigação ou, pelo menos, sem qualquer consequência, é particularmente grave”, considerou.

O especialista prossegue: “A frequência com que o sistema legal (e não apenas os tribunais) permite que corruptos e defraudadores comprovados continuem a rir-se dos cidadãos honestos, são situações que agravam o sentimento generalizado de que a nossa sociedade tem alguns frutos muito podres, mas cheios de riqueza e poder”.

“Mas nem só no sector público há fraude”, adverte, lembrando que “a fraude contra as empresas poderá representar aproximadamente 10 por cento do seu volume de vendas, o que é um valor muito elevado”.

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 13:38

Tem ainda dúvidas sobre quem na verdade manda no nosso país? Leia esta entrevista. ( E já agora aproveite para consultar os arquivos da sua memória, regressando ao fim forçado do governo Santana Lopes)

por cunha ribeiro, Domingo, 05.02.12

Judite de Sousa: banqueiros deram entrevistas para fazer ultimato a Sócrates

04.02.2012 - 23:25 Por Anabela Mota Ribeiro

Judite de Sousa trocou a RTP pela TVI aos 50 anos Judite de Sousa trocou a RTP pela TVI aos 50 anos (Foto: Pedro Cunha)
O momento em que José Sócrates se referiu ao seu ordenado, superior ao dele, primeiro-ministro, foi há uma eternidade, na encarnação RTP. Há quase um ano que está na TVI. É directora adjunta de Informação, além de jornalista que faz o que é preciso fazer.

 

Uma grande mudança aconteceu na sua vida pelos 50.
Foi aos 50 anos como podia ter sido aos 49, aos 48. Não há qualquer tipo de coincidência no facto de eu ter decidido deixar a RTP aos 50 anos de idade.

O que fica claro é que é um ciclo, um ciclo muito longo, que se encerra com a saída da RTP. E uma disponibilidade para começar de novo numa fase em que as coisas tendem à estabilização.
Tem razão. Assinei contrato na última semana de Março [de 2010], Portugal é resgatado [pelo FMI e UE] cerca de um mês depois. Estou convencida de que, se a mudança tivesse decorrido algumas semanas mais tarde, a Prisa e a Media Capital não me iriam contratar (…).

Isso ocorreu-lhe quando estava em negociações? A ideia de um resgate já pairava há algumas semanas.
Quando estou em negociações, o resgate é uma coisa de que se fala em surdina, mas nenhum responsável político ousava verbalizar o problema. A informação da TVI mudou muito; o elemento fundamental na percepção objectiva dessa mudança, foi o facto de o pedido de ajuda financeira que Portugal foi obrigado a fazer ter passado pela informação da TVI.

Refere-se às entrevistas aos presidentes dos principais bancos?
Muitas pessoas não perceberam por que é que andava a entrevistar banqueiros todos os dias. A verdade é que as entrevistas foram feitas numa segunda, numa terça, numa quarta e numa quinta; 48 horas depois, o primeiro-ministro estava a pedir ajuda financeira. (…)

A ideia de fazer as quatro entrevistas foi uma espécie de xeque-mate à chegada? Um modo de dizer que era capaz de mobilizar quatro dos homens mais poderosos do país e intervir na cena política portuguesa?
Foi. Foi intencional. (…)

Contacta os assessores de imprensa? Não pega no telefone para falar directamente com Fernando Ulrich?
Com alguns, trato directamente. Com o Fernando Ulrich falo directamente; talvez por ter sido jornalista, há um tipo de relação diferente. Mas não falo directamente com o Ricardo Salgado, passo sempre pelo Paulo Padrão [assessor]. As respostas surgiram logo no dia seguinte. Só mais tarde vim a perceber que aproveitaram o meu convite para acertar uma posição conjunta de forma a fazer um ultimato a José Sócrates. Acabei por, com aquelas entrevistas, fazer parte de uma narrativa que foi meticulosamente preparada pelos banqueiros.

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 13:22

Defenda-se o interior do país, sim senhor. Mas não esqueçamos de defender o "interior" das pessoas, que corre perigo, muito perigo

por cunha ribeiro, Domingo, 05.02.12

Seguro anuncia conferência «em defesa do interior»

Líder do PS vai falar com os presidentes das federações socialistas sobre este assunto

PDebate quinzenal no Parlamento [LUSA]

O secretário-geral do PS vai anunciar na Comissão Nacional do partido a realização de uma conferência em «defesa do interior» do país, defendendo que os portugueses do interior são «duplamente penalizados».

Na intervenção na reunião da Comissão Nacional do PS, que decorre em Évora, à porta fechada, António José Seguro anunciará que a conferência vai reunir «autarcas, empresários e outras forças vivas», no último fim-de-semana de Fevereiro, num distrito do interior a definir, disse à Lusa fonte socialista.

O líder socialista argumentará que «não há portugueses nem terras dispensáveis», mas «a realidade demonstra que os portugueses do interior são duplamente penalizados com os sacrifícios impostos pelo Governo».

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 13:08


Comentários recentes




GENTE DA NOSSA TERRA

minha imagem para.jpg


subscrever feeds