Created by Watereffect.net Created by Watereffect.net

Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



BLOGUE PARADA DE AGUIAR - Mais sobre mim


Colaboradores - Clique nas fotos para aceder aos textos de cada Colaborador

ela, 2. antonio candido . 8341659518_ecc98db9f2_m . Cândida dos Reis Dias Pinto . minha foto. agostinho ribeiro . agostinho . francisco gomes .

calendário

Outubro 2014

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031


página de fãs


Pesquisar

 

Google Maps


Ver mapa maior

PARADA DO CORGO

viveiro em 1987


Concelho de Vila Pouca de Aguiar, Hoje

por cunha ribeiro, Terça-feira, 21.10.14

Um texto bem escrito e com cujo conteúdo concordo em absoluto, da autoria de José Carlos Rendeiro (o tema foi desenvolvido, pelos dois dirigentes máximos dos dois principais partidos  do arco do poder - PS. e P.S.D. -,  no "Notícias Aguiarenses"):

(C.R.)

 

______________________________________________________________

Comentando o tema que nos foi proposto -“o concelho hoje” - diremos, desde logo, que o concelho aguiarense é hoje, apenas, uma sombra do seu passado. Esta afirmação resulta duma constatação fáctica da realidade actual, mas é com tristeza que a fazemos. A opção por viver, trabalhar ou investir no nosso concelho é, cada vez mais, um acto heróico e de incomparável coragem. As adversidades são tantas que levaram milhares de pessoas, nos últimos 10 anos, à pesada decisão de abandonar a sua terra e os seus entes queridos em busca da qualidade de vida que o concelho não lhes proporcionou. Foram inúmeros os empresários e comerciantes a encerrar as suas portas e agricultores a abandonar as suas terras. Estamos mais pobres. O poder de compra dos aguiarenses está 40 pontos abaixo da média nacional. O concelho aguiarense ocupa o 279.º lugar no ranking da qualidade de vida entre os 308 concelhos portugueses. Vários serviços públicos estão em risco de encerrar. O desemprego subiu a ritmo alucinante. Os jovens aguiarenses, fruto das dificuldades, adiam a decisão de casar e de ter filhos. O concelho está envelhecido. Este é hoje o retrato fiel do nosso concelho, um concelho assolado pelo destino cruel da desertificação. As praças cheias de pedra, os palácios, palacetes e as obras de milhões perecerão lentamente sob o olhar angustiado de uma população envelhecida que vê, com olhos turvos das lágrimas, somente a sombra de um verdadeiro concelho de outrora cheio de gente, comércio, emprego, oportunidades e alegria. Resistem treze mil aguiarenses. Somos nós. Como tal, somos também nós que temos o dever de lutar para que se inverta este ciclo. Todos nós. Sem bairrismos, sem egoísmos, sem partidarismos. Uns mais do que outros. Certamente que sim. Quem dirige os destinos do concelho possui uma responsabilidade acrescida neste desiderato. Importa que todos tenhamos a consciência que o estado a que o concelho chegou, hoje, é essencialmente consequência das políticas autárquicas desenvolvidas no passado. Os investimentos foram mal direccionados. Esta é a realidade que tem que ser assumida, sem desculpas, pelos detentores do poder autárquico. Tivemos durante mais de uma década o encaixe de dezenas de milhões de euros em fundos comunitários. Contudo, o mérito da obtenção destes fundos não coincidiu com mérito nos projectos onde foram aplicados. Infelizmente continuamos no mesmo caminho. Assistimos à tomada de opções políticas sem qualquer estratégia de interesse público. Assistimos à realização de obras de valor avultado que não têm na sua base um estudo sobre a sua premência, viabilidade e retorno económico; Assistimos à atribuição de substanciais quantias a determinadas associações próximas ao poder para desenvolverem actividades da competência da Câmara Municipal; Assistimos à dispersão de avultados subsídios cujos critérios desconhecemos; Continuamos a assistir ao clientelismo e favorecimento; Continuamos a assistir à discriminação. Não serão as operações de charme nem será a propaganda de criação de projectos ou a adesão a pontuais programas que tirará o concelho do destino vaticinado se o entendimento que os titulares do poder têm acerca do desenvolvimento não for significativamente alterado. Continua a faltar o verdadeiro apoio às empresas criadoras de emprego; Continua a faltar uma verdadeira aposta na dinamização do comércio; Continua a faltar uma verdadeira aposta no Turismo. Continua a faltar a forte aposta no Termalismo em Pedras Salgadas. Continua a faltar o apoio aos casais jovens como incentivo para se fixarem no concelho e aqui constituírem família. Continua a faltar cultura. Mas, acima de tudo, falta iniciativa estratégica producente. Falta à Câmara Municipal a assunção da responsabilidade de ser o farol, promotor e garante da estabilidade do investimento privado, para que todos possam, em segurança, dar o seu contributo no sentido do verdadeiro desenvolvimento. No que nos compete, enquanto oposição, continuaremos construtivamente a propor e apoiar todas as propostas que venham no sentido do verdadeiro desenvolvimento e a lutar contra aquelas que seguem em sentido inverso para que o concelho de amanhã seja, substancialmente, melhor que o concelho de hoje. Este é o nosso contributo.

O Presidente da Comissão Política Concelhia do PS

José Carlos Rendeiro

Texto escrito de acordo com a anterior ortografia

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 23:03

DEVAGAR, COMO AFIRMAM, CHEGOU À BLOGOSFERA O SITE DA FREGUESIA DE SOUTELO DE AGUIAR

por cunha ribeiro, Terça-feira, 21.10.14

site soutelo.jpg

 

PARECE DIABO, MAS A VERDADE É QUE ESTE TEXTO , ESCRITO NO DIA 21, TERÁ SIDO PUBLICADO ANTES DE O SITE DA FREGUESIA TER SURGIDO NA BLOGOSFERA ...

DE QUALQUER MODO, ESTOU MUITO CONTENTE, POIS LEMBRARAM-SE DE COLOCAR NO SITE UMA RUBRICA DEDICADA ÀS:

"Associações" !!!

É VERDADE!

 

E DENTRO DESTA, LÁ VEM A NOSSA:

 
Folder Associação Prazer da Memória (!!!)
 
E MAIS NENHUMA!

ESTOU MESMO CONTENTE!

Queria, já agora, agradecer ao mentor/ Webmaster/Designer/ ou o que quiserem chamar, do Site da Freguesia de Soutelo de Aguiar por se ter lembrado que existe uma Associação na Freguesia com o nome PRAZER DA MEMÓRIA. Será este um sinal de abertura e colaboração com os seus órgãos? Se for, cá estaremos de braços abertos, pois não odiamos nem substimamos ninguém, apenas manifestamos a nossa urticária quando nos picam...

 

 Também queria  saudar-vos por terem apresentado um Site com muito bom aspeto ( vê-se que não foi inspirado na nossa proposta liminarmente rejeitada ... convém lembrar). Quero acreditar que este vosso Site  não deverá custar mais à freguesia que o da proposta que rejeitaram.

 

Espero que os soutelenses/fregueses da Freguesia de Soutelo de Aguiar possam emitir opiniões no vosso Site, ou pelo menos na página do facebook da freguesia, a qual tiveram o bom gosto de também criar (e até me auxiliou na identificação do momento em que a página e o site vieram à luz do dia...). É que caso as portas do Site nos estejam trancadas não permitindo troca de ideias entre fregueses cairá irremediavelmente por terra o interesse essencial deste vosso excelente trabalho.

 

Só mais isto: Se me quiserem agradecer pela publicidade que acabo de fazer ao vosso SITE e à correspondente Pág do Facebbok, não se façam rogados, venha de lá o agradecimento. Só vos ficará bem.

 

CR

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 22:50

FISCAL DE BALIZA DERROTA O SPORTING

por cunha ribeiro, Terça-feira, 21.10.14

Não deveria acontecer, mas aconteceu: Um Fiscal de Baliza que vê mal ao perto foi o único entre milhares a ver um penalti inexistente. Só os braços ou mãos podem provocar um penalti, nunca o rosto de um jogador, como no caso em concreto aconteceu.

Pena não poder haver revisão do resultado com a ajuda da televisão que, essa sim, é muito mais objetiva e fidedigna. Platini devia ver bem este lance e meditar nas suas consequências - desastrosas para uma equipa em situação financeira difícil como a do Sporting de Portugal.

 

CR

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 21:42

À ATENÇÃO DOS COMPARTES DO BALDIO DE PARADA DE AGUIAR

por cunha ribeiro, Terça-feira, 21.10.14

CAPÍTULO II
Uso, fruição e administração
  Artigo 5.º
Regra geral
1 - O uso, a fruição e a administração dos baldios efetivam-se de acordo com os usos e costumes locais e as deliberações dos órgãos competentes das comunidades locais, sem prejuízo do disposto nos artigos seguintes.
2 - Aos compartes é assegurada a igualdade de gozo e exercício dos direitos de uso e fruição do respetivo baldio.

 

 

Comentário:

 Será que em Parada de Aguiar se está a cumprir a lei dos Baldios? Refiro-me, aqui,  a este aspecto importantíssimo, o qual, aliás referi em assembleia geral de compartes: O Conselho Diretivo tem não apenas o dever MORAL, mas também LEGAL, de, na sua gestão do Baldio, promover a  "Igualdade de gozo  e exercício dos direitos de uso e fruição..." pelos compartes.

É sabido que nem todos os paradenses têm tido igual tratamento neste domínio que, em linguagem corrente, significa o seguinte:

- Direito de todos os compartes de Parada de Aguiar:

   - a vender os seus "produtos" ou prestar os seus serviços ( trabalhar ) seja com que instrumento de trabalho for: mãos, pá, enchada, trator, etc...) ao Baldio e a receber por esse trabalho em condições de igualdade;  

  - a usar,  desfrutar ou fruir o terreno baldio ( por exemplo, o monte em toda a sua extensão, e tudo o que de lá se pode retirar: pasto, lenha, água, energia, ... tudo ) em igualdade de circunstâncias, isto é  sem discriminar (excluir, pôr de parte) nenhum dos compartes.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 19:25

PARÁBOLA

por cunha ribeiro, Terça-feira, 21.10.14

DO RATO

 

Certo dia, um homem entrou numa loja de antiguidades, e deparou-se com uma
belíssima estátua de um rato.

Perante a beleza da obra de arte, correu  para o balcão e perguntou o
preço ao vendedor:

- Quanto custa?

- A peça custa 50€ e a história do rato custa 1.000€
- O quê? Você está maluco? Vou levar só a obra de arte.


Feliz e contente o homem saiu da loja com a sua estátua debaixo do braço.

À medida que ia andando, percebeu mortificado, que inúmeros ratos saíam das lixeiras e sarjetas na rua, e passaram a segui-lo.

Correndo desesperado, o homem foi até ao cais do porto, e atirou a peça com toda a sua força, para o meio do oceano.

Incrédulo, viu toda aquela horda de ratazanas atirarem-se atrás e morrerem afogadas.

Ainda sem forças, o homem voltou para o antiquário e o vendedor disse:

- Veio comprar a história, não é?

- Não, eu quero é saber se você tem uma estátua de um ... Coelho ... Olhe, para ser mais preciso, (falo-lhe ao ouvido) - do Passos Coelho!

 

(De autor desconhecido)

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 19:13

PERDOAI-ME SENHOR, SE ESTIVER ERRADO

por cunha ribeiro, Terça-feira, 21.10.14

MAS INSISTO QUE A CÂMARA MUNICIPAL DE VILA POUCA DE AGUIAR, E AS  FREGUESIAS DE TODO O CONCELHO, EM ESPECIAL A DE SOUTELO DE AGUIAR, DEVERIAM TER UM SITE (SÍTIO) NA INTERNET E UM ENDEREÇO DE EMAIL PRÓPRIO PARA QUE NÓS, CIDADÃOS QUE ELEGEMOS OS NOSSOS REPRESENTANTES, POSSAMOS PARTICIPAR NAS DECISÕES QUE SE DEVEM TOMAR E NAS QUE SE VÃO TOMANDO.

COMO POR EXEMPLO SE FAZ NA CÂMARA MUNICIPAL DE CHAVES:

 

A Câmara lança novo formato da iniciativa “Dar Voz ao Munícipe” De forma Câmara de Chaves apresentou ontem, em conferência de imprensa, o novo modelo da iniciativa “Dar Voz ao Munícipe”, que dará a possibilidade aos flavienses de debaterem, de uma forma mais próxima e intimista, com os responsáveis pela Câmara - nomeadamente o Presidente e os elementos da Vereação - preocupações, ações e projetos de interesse para o desenvolvimento do concelho. Recorde-se que a iniciativa “Dar Voz ao Munícipe” foi criada em 2003, para permitir aos munícipes discutirem projetos, intervenções, ações e fazerem críticas e sugestões em prol da melhoria do concelho. Não obstante, devido à pouca adesão dos munícipes, a autarquia foi deixando de realizar a iniciativa, que inicialmente tinha lugar de 3 em 3 meses. Através de novas formas de participação cívica e de cidadania participativa, como por exemplo “A Minha Rua”, “Licenciamento Zero”, “Simplificação e Desmaterialização de Processos”, e agora retomando, com um novo formato, as sessões de “Dar Voz ao Munícipe”, o Município pretende contribuir decisivamente para uma autarquia mais produtiva, mais eficiente e mais voltada para um melhor serviço aos cidadãos. A reedição da ação “Dar Voz ao Munícipe” num novo formato surge no sentido de melhorar o conhecimento que a autarquia tem do munícipe e das entidades que consigo interagem, melhorando assim a qualidade de serviço aos munícipes. Assim, os flavienses podem questionar, sobre toda e qualquer matéria da responsabilidade da autarquia, o Presidente da Câmara e os Vereadores do executivo, conforme os respetivos pelouros de intervenção, via correio eletrónico criado especificamente para o efeito: vozaomunicipe@ chaves.pt As questões podem ser colocadas a qualquer hora e em qualquer dia do mês (período sempre em aberto) por diferentes temas da atividade municipal, sendo agrupadas em cada mês por temas (sessões temáticas) mediante a sua pertinência. O Presidente e os Vereadores reunirão com um grupo de cidadãos (máximo de 7 pessoas) uma vez por mês (na última semana) na autarquia. Todas as questões e respetivas respostas serão colocadas no site do Município e rede social facebook, mantendo-se a confidencialidade, se assim o entenderem, dos munícipes.

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 13:28

Top Páginas (ontem - 20/10/2014 )

por cunha ribeiro, Terça-feira, 21.10.14

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 08:30

Capela de Parada de Aguiar e Rua do Arco, com ef. especiais


Created by Watereffect.net
Created by Watereffect.net


Comentários recentes




IMAGENS DA NOSSA TERRA

CLIQUE NA FOTO PARA ACEDER À GALERIA DE IMAGENS DE PARADA DE AGUIAR parada em ponto grande para imagem de fundo.

GENTE DA NOSSA TERRA

minha imagem para.jpg


subscrever feeds