Created by Watereffect.net Created by Watereffect.net

Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



BLOGUE PARADA DE AGUIAR - Mais sobre mim


Colaboradores - Clique nas fotos para aceder aos textos de cada Colaborador

ela, 2. antonio candido . 8341659518_ecc98db9f2_m . Cândida dos Reis Dias Pinto . minha foto. agostinho ribeiro . agostinho . francisco gomes .

calendário

Junho 2016

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930


página de fãs


Pesquisar

 

Google Maps


Ver mapa maior

PARADA DO CORGO

viveiro em 1987


Novidades na Direção e Mesa da Assembleia Geral da APM

por cunha ribeiro, Segunda-feira, 13.06.16

Este domingo houve eleições para o triénio 2016/17/18 da APM. Congratulo-me por termos agora nos órgãos da associação o João de Sousa Ferreira ( Tesoureiro)  e o José Couto ( 1º Secretário da Mesa da Assembleia Geral).

Brevemente será divulgada a constituição de todos os órgãos associativos.

 

FCR

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 08:59

Convívio de Agosto da Associação Prazer da Memória

por cunha ribeiro, Segunda-feira, 13.06.16

Será no dia 7 de agosto, domingo. Esperamos por si.

 

FCR

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 08:56

“ ESTIMADOS AMIGOS PARADENSES “

por cunha ribeiro, Sábado, 11.06.16

Tenho a transmitir a triste notícia do falecimento do meu primo JOÃO MANUEL, que morava nas Minas da Panasqueira, para onde se deslocou ainda muito jovem. Por lá constituiu família sem nunca ter perdido o afeto à sua aldeia como tantos outros Paradenses.

Há dois anos no mês de agosto, participou ativamente na Festa convívio da Associação Prazer da Memória de Parada de Aguiar, sua terra natal. Ainda há bem pouco tempo, em conversa com ele pelo telefone, me disse que ainda tencionava voltar a Parada, para uma vez mais assistir ao convívio porque tinha gostado muito. Hoje, dia 11-06-16,recebo a triste notícia do seu falecimento. Embora já andasse com o seu estado de saúde muito debilitada – nunca se está à espera de uma notícia destas. Enfim: todos estamos sujeitos. Mais tarde ou mais cedo – chega a nossa vez.

Há esposa Maria Magalhães, filhos, irmãos, bem como toda a nossa a família, os meus profundos sentimentos e que Deus tenha a sua alma em paz.

Agostinho Rodrigues

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 22:29

O OUTRO LADO DA MOEDA

por Francisco Gomes, Sexta-feira, 10.06.16

Aquilo que é belo é para ser  visto e admirado. Não importa se é do sexo feminino ou masculino, se é visto pelo sexo comum ou pelo sexo oposto. O nu feminino é mais raro, as mulheres tem mais pudor, o  nu masculino é mais banal. Sempre foi visto com certa admiração, tanto pela Gênese Grega da Antiguidade, como pelo Renascimento. Grandes vultos como Leonardo Da Vinci e Michelangelo, nunca se cansavam de observar e admirar o corpo masculino nu, por isso eram expostos em várias obras de arte.

O ser humano é contraditório, no entanto, se considera especial. O homem quando se observa nu, ou vê outros corpos nus, fica meio inibido e acha que os outros são mais bem dotados do que ele. Por isso sente curiosidade e inveja, diante de outros corpos nus. O olhar masculino sobre um corpo masculino desnudado, se compara e se assemelham a outros corpos, supostamente impregnados de falso machismo e de frágil auto estima. Há no nu masculino uma poderosa técnica mesclada de arte e sutileza, diante do olhar atraente do sexo oposto, que encanta o olhar.

A ordem natural é os sexos se admirarem opostamente. A moeda tem duas faces, as duas tem o mesmo valor, porque o que vale é a moeda por inteiro. Assim acontece com o nu feminino ou masculino, os dois têm o mesmo valor, pois o que vale é o ser humano. Uma menina moça, muito atraente, entra numa Igreja com os seios quase desnudados. O Padre se acerca dela e lhe diz: se não se reservar, sou obrigado a retirá-la da Igreja. “A jovem protestou dizendo que não podia ser retirada da Igreja, porque tinha “um direito divino”, ao que o Padre respondeu: ‘e um esquerdo também.”

O grande filósofo Heráclito que viveu no século VI AC, disse que nenhum homem toma banho na  mesma água de um rio, duas vezes, pois a água passa como passa a vida. Cada uma tem seu valor momentâneo, pois o tempo que levou a água, também leva a vida. A beleza e a estrutura física estão intimamente ligadas ao tempo. Hoje estamos a viver uma constante inversão de valores, pois acontecem muitos romances dentro dos mesmos sexos. A última vez que trabalhei no Cemitério, numa sala estavam sendo velados os corpos de dois homens. Fui informado que eram dois amantes que moravam juntos e fizeram um pacto de morte. É assim que se vive os dois lados da moeda.

    

Deus abençoe a todos

          

Agostinho  Gomes  Ribeiro

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 21:25

UM JOVEM NA BOATE

por Francisco Gomes, Sexta-feira, 10.06.16

Quem não acredita no heroísmo e na integridade de um jovem, nos tempos modernos, não precisa ler este texto. Todos os domingos  participo da Missa das sete horas da manhã. Tenho preferência por um banco na Igreja, que fica ao lado da porta lateral. Sempre que vou à Igreja para qualquer participação,  procuro sentar nesse banco.

No penúltimo domingo, chamou a minha atenção, um jovem de boa aparência, mais ou menos dezoito anos, que sentou no mesmo banco, pois é de seis lugares. Ao chegar sorriu para mim, dando a impressão que já nos conhecíamos. Na hora da Comunhão, lá estava o jovem na fila para comungar. Ao terminar a Missa, despedi-me dele e desejei-lhe um bom domingo.

Neste último domingo, quando cheguei, o jovem já estava sentado. Ao ver-me sorriu e cumprimentou-me. Ao final da Missa, convidei-o a tomar um cafezinho na cantina da Igreja. Ele aceitou e começou a contar sua vida. Disse que estava vindo diretamente do trabalho para a Missa, que trabalhava a noite toda e por isso estava meio sonolento. Fiquei emocionado com o relato do  jovem. Disse-me que seu Pai falecera havia seis messes, fora morto num assalto para roubar-lhe o carro. Foi justamente no dia em que ele completava dezoito anos. Disse-me que  eram cinco irmãos, porém ele era o mais velho. O pai tinha um emprego muito bom e dava todo o conforto à família. A Mãe nunca trabalhara, somente tomava conta da casa e da família. Ele estudara violino desde os dez anos.

Com a falta do Pai, a situação da família se complicou, pois a pensão que  a Mãe recebia não dava para nada. Foi obrigado a trancar a matrícula na faculdade e ir trabalhar. O único serviço que encontrou que podia ajudar a família era tocar violino num Conjunto, numa Boate. A Mãe não queria que ele fosse para esse trabalho, achava muito perigoso. Mas diante da necessidade, não havia outra saída. Disse-me: “ Vai meu filho, eu confio em ti e Deus também”. Disse-me que moravam no bairro há pouco tempo, pois  tiveram que mudar por causa do alto custo do aluguer.

Disse-me que trabalhava na Zona Sul das dez da noite ás cinco da manhã. Fazia três meses que ele trabalhava nesse serviço. Que de fato era muito perigoso, pois via na Boate, gente de todos os tipos e muitos viciados em drogas. Por isso, quando terminava ele corria para a igreja para se abastecer das forças necessárias para resistir. Agora chego em casa, tomo café com minha Mãe e meus irmãos, eles vem para a Missa das dez e eu vou dormir, pois á noite tenho que voltar para a luta. Eu fiquei muito emocionado, abracei esse jovem e desejei-lhe tudo de bom na vida. Despedimo-nos com a promessa de no próximo domingo a gente se encontrar.

“Um lírio também nasce no lodo “

   

Deus abençoe a todos

        

Agostinho  Gomes  Ribeiro

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 21:22

CONVERSAR COM DEUS

por Francisco Gomes, Quarta-feira, 08.06.16

O único meio de conversar com Deus é por meio da Oração. Um dia os  discípulos de Jesus pediram-lhe que os ensinasse a rezar. Ele lhes ensinou o Pai Nosso, a oração pela qual podemos falar com Deus. Jesus Cristo mostrou aos seus discípulos que para se falar com Deus, não precisa de formas bonitas e exatas, frases bem ordenadas, pois Deus conhece tudo e a todos e sabe quais são as nossas necessidades e as nossas intenções quando rezamos.

Cada um pode fazer suas orações com frases formadas por ele mesmo, simples, porém, saídas do coração. Diante das dificuldades que as pessoas tinham para rezar, é que foram feitas  essas orações que normalmente rezamos, mas rezar é conversar com Deus. Não existe momentos especiais para se rezar. Todo e qualquer momento é propício, desde que haja disposição para uma boa oração. Deus está sempre ao nosso lado, por isso nossas orações devem ser diálogos, como aqueles que temos com os melhores amigos.

Rezar logo de manhã enquanto nos preparamos para sair, enquanto fazemos nossa higiene pessoal, pedir a Deus que purifique a nossa alma, assim como nós purificamos o nosso corpo. Na hora do almoço, olhando o vai e vem das pessoas, também é um bom momento para se fazer uma oração, agradecer o Pão Nosso de cada dia. Um modo muito salutar de rezar é apreciar as maravilhas da natureza, ver a presença de Deus nas coisas criadas.

 Um modo muito particular de se conversar com Deus, é colocar uma cadeira de frente para aquela em que estamos sentados, imaginar que  Cristo está sentado  nessa cadeira, conversar com ele como conversaríamos com um grande amigo, contar-lhe a nossa vida, os nossos problemas. É verdade que o Cristo sabe de tudo a nosso respeito, mas gosta de sentir a nossa coragem diante dele. Se nos propusermos a fazer este tipo de oração, precisamos ter cuidado fazer em local reservado, pois as pessoas podem pensar que estamos ficando perturbados. Se insistirmos com este tipo de oração, vamos chegar a um ponto que mentalmente vemos o Cristo à nossa frente, a dialogar connosco.

Conheço algumas pessoas que fazem este tipo de oração há muito tempo, são pessoas saudáveis, alegres e felizes. Estão sempre de bem com a vida. Nós andando de um lado para o outro, não conseguimos chegar a lugar nenhum, mas se  nos sentarmos e conversarmos com Deus, conseguimos chegar até junto dele.

    

Deus abençoe a todos

         

Agostinho  Gomes  Ribeiro

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 23:06

Convocatória

por cunha ribeiro, Segunda-feira, 06.06.16

conv 001.jpg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 19:54

Quem não deve não teme

por cunha ribeiro, Segunda-feira, 06.06.16

Como é que um “Município considerado modelo do Norte de Portugal”, “estando entre os nomeados para Município do Ano Portugal 2016, numa classificação organizada pela Universidade do Minho”, sendo um dos “quatro finalistas candidatos ao respectivo galardão, na categoria Norte menos de 20 mil habitantes” pode ter sobre “ele” uma acusação tão grave como a que o Ministério Público, segundo notícia da LUSA, lhe está a imputar?

Com efeito, segundo a LUSA, “o Ministério Público (MP) acusou o actual e o anterior presidente da Câmara de Vila Pouca de Aguiar de prevaricação de titular de cargo político e de abuso de poder, por alegado favorecimento de uma empresa num concurso público”.

Imagino que nos cafés do Concelho aguiarense o tema esteja na “ordem do dia”. E haja teses e antíteses para todos os gostos. Mas quase todas serão meras palavras de circunstância, de defesa e de ataque, de suspeita e certeza, de deleite e angústia. Aqui e ali essas palavras sairão à socapa, não vão as paredes ouvi-las.

Deixando à justiça o que é da justiça, vou aqui expressar apenas duas ideias:

A primeira é uma simples e dolorosa constatação: fazendo jus ao provérbio “dinheiro público é como água benta: todos lhe põem a mão”, a corrupção é o “modus vivendi” de cada vez mais gente neste país; uma calamidade crescente e sufocante. O dinheiro dos contribuintes é desenfreadamente desbaratado em contratos lesivos onde intervêm sejam as Câmaras, seja o Governo e seus departamentos.

A segunda resulta de uma interpretação: Li atentamente a posição pública assumida pelo atual presidente, Alberto Machado, sobre o assunto.

Analisando o que diz, fica no ar a ideia que a sua assinatura nos documentos contratuais não terá sido voluntária. Alega, primeiro, que o fez durante as férias do seu antecessor; depois, que terá agido sem “delegação de poderes” para o efeito, e que essa função não estava sob a alçada do seu pelouro. Alega, por fim que, desde a sua investidura como Presidente da Câmara, nunca contratualizou com a referida empresa. Chega isto? Claro que não. Mas já explica alguma coisa.

A procissão vai ainda no adro. Que é como quem diz: “ até prova em contrário os visados são ainda inocentes”. Porém, as suspeitas já estão a fazer o seu caminho. Talvez por isso, Alberto Machado veio a terreiro em sua defesa. Quem sabe se os outros visados farão o mesmo. Julgo que, sendo a acusação do Ministério Público passível de contraditório, só ficariam a ganhar com tais explicações, pois “quem não deve não teme”.

 

 CR

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 10:25

ACREDITAR EM DEUS

por Francisco Gomes, Quarta-feira, 01.06.16

Ninguém tem motivos para não acreditar em Deus. Muitas vezes cometemos erros, porém, Deus nunca erra, em Deus não existem falsidades. Houve um tempo em minha vida que minha fé definhou, ficou tão fraca que nada referente a Deus, para mim, tinha valor. Mas eu continuava a ser requisitado para dar depoimentos sobre a vida religiosa, várias pessoas me procuravam para tirar dúvidas sobre a fé e sobre a religião. Recebia várias consultas sobre textos bíblicos, sobre Sacramentos e Dogmas, mandamentos e outros fatos referentes à religião. Em virtude dessa fraqueza na fé, comecei a sentir dificuldades para explicar certos fatos. Cheguei à conclusão de que havia perdido a fé. Um dia falei sobre isso com um grupo de amigos e eles ficaram espantados. Um deles me disse que diante de tantos conhecimentos, não era possível perder a fé assim de repente. Sugeriu que eu devia ter perdido o interesse, por qualquer motivo.

Passei a analisar a minha conduta e cheguei à conclusão que de facto eu havia perdido o interesse pelas  coisas de Deus e da religião. Comecei a procurar os motivos que me levaram a esta situação e não encontrei um motivo, convincente, que justificasse tais atitudes. Comecei a refletir e a me interessar pelas coisas sagradas. Passei a rezar todos os dias pedindo a Deus que aumentasse a minha fé. Ter fé é acreditar e eu passei a crer em Deus  e na sua infinita bondade.

Esse negócio de acreditar, é muito relativo. Nós acreditamos nas pessoas, nos professores, nos engenheiros que fazem e dirigem grandes projetos, acreditamos nos médicos e nos medicamentos que nos receitam. Acreditamos na competência dos motoristas e maquinistas, que dirigem seus veículos lotados de vidas. Acreditamos nos pilotos que dirigem grandes aeronaves. Se nós acreditamos em tantas pessoas, por que não acreditar em Deus? Deus sempre acredita em nós, mesmo sendo falsos e mentirosos.

Nós devemos sempre acreditar em Deus que nos criou, em Jesus Cristo que nos Salva e no Espírito Santo que nos dá vida e ilumina a nossa escuridão. A fé não se adquire e nem se compra, não se tem quando a gente a quer. A fé é uma Virtude que nos é dada por Deus. Por isso devemos rezar todos os dias pedindo a Deus que aumente a nossa fé. Jesus Cristo nos diz: “ Não se perturbe o vosso Coração, se credes em Deus, crede também em mim, pois eu sou o Caminho a Verdade e a Vida".

     

Deus abençoe a todos

                  

Agostinho  Gomes  Ribeiro

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 23:04

Capela de Parada de Aguiar e Rua do Arco, com ef. especiais


Created by Watereffect.net
Created by Watereffect.net


Comentários recentes




IMAGENS DA NOSSA TERRA

CLIQUE NA FOTO PARA ACEDER À GALERIA DE IMAGENS DE PARADA DE AGUIAR parada em ponto grande para imagem de fundo.

GENTE DA NOSSA TERRA

minha imagem para.jpg


subscrever feeds



Pág. 2/2