Created by Watereffect.net Created by Watereffect.net

Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



BLOGUE PARADA DE AGUIAR - Mais sobre mim


Colaboradores - Clique nas fotos para aceder aos textos de cada Colaborador

ela, 2. antonio candido . 8341659518_ecc98db9f2_m . Cândida dos Reis Dias Pinto . minha foto. agostinho ribeiro . agostinho . francisco gomes .

calendário

Julho 2016

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31


página de fãs


Pesquisar

 

Google Maps


Ver mapa maior

PARADA DO CORGO

viveiro em 1987


ME DÊ UM MOTIVO

por Francisco Gomes, Quinta-feira, 14.07.16

Motivação é aquilo que move alguém. O tempo do verbo “emovere” no Latim, significa “movimentar”, “mexer”, “tocar”, ele está ligado à palavra “emoção”. Motiva-me aquilo que me toca aquilo que me emociona, aquilo que me afeta de alguma maneira. Aquilo que me emociona, também pode me afetar e me motivar a fazer algo negativo. Pode também me induzir a fugir a rejeitar, ou recusar: “foge da ocasião, que eu te livro  dos perigos”. Num trabalho onde eu encontro prazer, certamente, me emociona, porque, existe um sem número de trabalhos, empregos, ou outras atividades que podem nos motivar negativamente. A essa  motivação negativa, nós chamamos de desmotivação. Porque provoca uma emoção ruim, da qual queremos fugir, queremos esvaziar tal motivação.

Um exemplo é quando não queremos levantar de manhã, para ir trabalhar no emprego que detestamos. Nós arranjamos uma porção de desculpas, desejamos até que aconteça um incêndio, um problema de trânsito, algo que impeça de chegarmos ao emprego. Cansaço é quando queremos dormir até mais tarde, stresse é quando não queremos levantar, porque estamos desmotivados. Motivar é sensibilizar.  Se for positivo a gente se eleva, se for negativo a gente protela.

Existe a motivação e o estímulo. Quando dizemos a um atleta que estamos a torcer por ele, estamos  estimulando, ele é que tem que se motivar e praticar o desporto que defende. Quando caminhamos com alguém e dizemos: vamos lá, força, estamos a estimular, não a motivar. As grandes motivações são os grandes motivos. Se eu não encontro naquilo que faço a motivação positiva, não será algo fora de mim, que vai me motivar. É necessário fazer uma distinção entre emprego e trabalho. Emprego é fonte de renda, trabalho é fonte de vida. Emprego é algo que faço para ter uma remuneração, trabalho é algo que faço até por prazer, pois é sentido de vida.

Muitas pessoas encontram no emprego o trabalho que gostam, por isso estão sempre motivadas. Aqueles que não encontram no emprego o trabalho que gostam, estão sempre desmotivados. Uma pessoa dificilmente motiva outra, se não tiver dentro de si, o impulso essencial para o sucesso.

  

Deus abençoe a todos

        

Agostinho  Gomes  Ribeiro

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 21:30

Comunicação do Sr Tesoureiro da APM, João de Sousa Ferreira

por cunha ribeiro, Quinta-feira, 14.07.16

AMIGOS SOCIOS DO PRAZER DA MEMÓRIA Hoje decidi começar a dialogar connvosco, para que tesoureiro e restantes sócios estejam mais próximos uns dos outros na vida da nossa Associação, sendo este o único meio de comunicação possível. É de acordo com o Regulamento Interno que vos irei falar de deveres e direitos dos sócios. Como devem saber, o nosso Presidente da Direção, Francisco da Cunha Ribeiro, anunciou aqui uns dias atrás a lista eleita dos Corpos Gerentes para os próximos 3 anos, que vai dirigir os destinos da nossa Associação. Considerada que foi a tomada de posse, tomo a liberdade, na qualidade de tesoureiro, de vos ir informando e orientar quando necessário, de todos os assuntos inerentes à contabilidade e tesouraria, bem como escrituração nos livros respetivos, àrea da minha competencia, não fungindo nem um milimetro daquilo que o regulamento Interno determina. O meu trabalho será sempre em sintonia com o senhor Presidente da Direção de quem estou subordinado. Antes de continuar, quero aproveitar esta oportunidade, depois da remodulação efetuada, para deixar aqui um grande elogio a toda a equipa quem em bom momemto, no dia 13 de Agosto de 2009, fundou esta mui nobre Associação "O PRAZER DA MEMÓRIA", de Parada de Aguiar. Esta Associação talvêz a unica de seu nome em toda a região Trasmontana, é para nós paradenses um sintoma de grande orgulho. O significado de " O Prazer da Memória"é infinito. Todos os Paradenses que amam a sua terra não podem ficar indiferentes ao bom trabalho desenvolvido até aqui pelos seus responsáveis. Para o timoneiro que tem estado ao leme do barco e continua a estar, o homem de todas as iniciativas, o primeiro responsável que ao longo de 7 anos, com marés altas e baixas tem conduzido o barco a bom porto de nome Francisco da Cunha Ribeiro, vai para ele o meu grande aplauso, pois não é fácil conjugar a sua vida profissional fora da sua terra ao mesmo tempo, com a liderança de este grande projeto. Como o mais velho em idade e mais novo nesta equipa, quero afirmar ser minha vontade, desempenhar o cargo com determinação, honestidade e responsabilidade e ao mesmo tempo com muito respeito ajudar a resolver problemas dos sócios, relativos à Associação. AMIGOS SOCIOS DO PRAZER DA MEMÓRIA A IMPORTANCIA DA CONSTRUÇÃO DE UMA SEDE A nossa Associação, desde 13 de Agosto de 2009, tem utilizado como sua Sede Provisória um espaço de casa de habitação do nosso amigo sócio João Batista Machado Ribeiro, que nela habita. Qualquer pessoa de bom senso, deverá compreender que isto não é solução para o desenvolvimento das atividades da nossa Associação. Relativamente a este assunto, proponho hoje mais do nunca a união entre todos, para conseguirmos o tão almejado objetivo. A construção de uma Sede não é luxo, mas sim uma grande necessidade. Necessidade de reuniões de Assembleia Geral, reuniões de Direção, de colocação de arquivos com pastas e processos organizados relativos à vida da Associação, as memórias escritas e fotografias dos nossos antepassados, de reuniões de convívio em datas especiais, etc. O nosso Presidente da Direção em data oportuna informará em pormenor. Essa data poderá ser a do dia de convívio 7 de Agosto. AMIGOS SÓCIO DO PRAZER DA MEMÓRIA LIVRO DE REGISTO DOS SOCIOS E DEVERES Tenho a informar que todos os sócios estão registados nos livros da Associação. Cada sócio tem a sua página onde consta o seu nome, numero, registo das quotas pagas e espaço para a residencia. Neste momento estão registados 171 sócios. No Regulamento Interno consta um dos DEVERES dos sócios, para além de outros, o do pagamento da quota anual. Considera-se anual, o tempo que vai de 01 de Janeiro a 31 de Dezembro. Porque relativo a 31 de Dezembro é elaborado o Relatório e Contas da Gerência e nele deve constar como receita desse ano todas as quotas pagas. Pelos dados que me foram entregues, constam um numero razoável de sócios que se deixaram atrasar no pagamento. Este pagamento será muito importante, pelo que faço aqui um apelo aos sócios de boa vontade e amigos da sua terra e dos seu antepassados, que dentro do possível façam a sua regularização. Para todos com muita amizade, fica aui um grande abraço. João Ferreira

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 10:30

Ele há-de levar-nos ao Céu

por cunha ribeiro, Terça-feira, 12.07.16

Com a idade, o verbo "ganhar" vai perdendo atualidade e cedendo o lugar ao seu oposto - "perder". Desde o cabelo às ilusões muito se perde e quase nada se ganha. Enumerar tudo o que vamos perdendo daria, por si só, uma crónica.

Há, porém, uma novidade surpreendente neste domínio, que poderíamos tratar como um novo subgénero do conceito de perda:  trata-se da "perda de licenciaturas". Miguel Relvas que, por maus motivos, dispensa apresentações, acaba de o inaugurar "perdendo uma”.

Perder uma "licenciatura" que nunca se teve, como é o caso, não será bem uma perda. Talvez antes um ganho. Quanto mais não seja, um ganho ético. É penoso constatar como um homem com responsabilidades políticas, visto que foi ministro na última legislatura de Direita, andava de cabeça levantada pelo país com uma fraude destas  a pesar-lhe na consciência. A "pesar-lhe" é uma força de expressão, pois há consciências que pairam acima de qualquer "gravidade". E a do amigo de Passos Coelho, se existe, não gravita, flutua, além da estratosfera. 

De consciência pesada deve andar o ex Presidente Cavaco Silva. Sabíamos já que no Palácio de Belém não morou, antes de Marcelo, nem a inteligência nem a poupança. Não sabíamos ainda que por ali circulava, amada e reverenciada, a corrupção. Soubemo-lo, "hélas",  agora, depois da polícia judiciária ter detido um inesperado exemplar: o diretor do Museu da Presidência. Um senhor que, pelos vistos, na concepção cavaquista de homens de mérito, mereceu honras de condecoração com o grau de Cavaleiro da Ordem de Santiago. Cavaco, aliás, ficará para história como o Presidente à volta do qual gravitaram mais corruptos por metro quadrado.

Devemos, contudo, ser justos com o ex-presidente: terminou o mandato em nítido desapego aos bens materiais. Magnânimo, foi à conta da presidência, sacou mais de cem mil, comprou um mercedes topo de gama, e ofereceu-o ao seu sucessor. Porém, o ingrato donatário,  menos mãos largas que o antecessor, recusou, com bom senso,  a despropositada oferta do doador. Mais um gesto que acrescentou ao atual presidente mais um valor na sua ascencente escala de popularidade. 

Quem vai finalmente subir ao trono da popularidade e da imortalidade é o futebolista Ronaldo. Haja quem não deixe entrar golos lá atrás que, à frente, temos gente. E Ronaldo, esse, não é deste mundo. Por isso há-de levar-nos ao Céu.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 10:29

Inscrições para o Convívio de 7 de Agosto "Prazer da Memória"

por cunha ribeiro, Terça-feira, 12.07.16

 

  1. Manuel Augusto Pereira Pinto
  2. Emília Rodrigues Gonçalves Pinto
  3. João Manuel Pinto
  4. Cândida dos Reis Pinto
  5. José Benjamim  Gomes
  6. Deolinda Cunha Gomes
  7. Francisco da Cunha Ribeiro
  8. Célia Carlota Ribeiro
  9. João Pedro Ribeiro
  10. Abílio José Ribeiro
  11. Belarmino Campos
  12. Fátima Monteiro
  13. João Batista Machado Ribeiro
  14. Edma Ribeiro
  15. João Pedro Machado Ribeiro
  16. João de Sousa Ferreira
  17. Edite Couto Ferreira
  18. António Cândido Alves Cunha
  19. Agostinha Cunha
  20. Agostinho Rodrigues
  21. Manuela Gomes
  22. Manuel José Dias Gomes
  23. Odete da Silva Gomes
  24. Manuel de Sousa Ferreira
  25. Maria de Fátima Ferreira
  26. José Fernandes Couto

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 09:14

PARADA DE AGUIAR ESTÁ COM A SELEÇÃO NACIONAL

por cunha ribeiro, Domingo, 10.07.16

 

bandeira portuguesa.jpeg

 

Amanhã, de parto natural, nascerá um novo campeão da Europa de Futebol. E o seu nome é PORTUGAL.

 

FCR

 

_____________________________________________________________________________________________

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 14:47

JUNTEM-SE A NÓS PARA APOIAR PORTUGAL

por cunha ribeiro, Domingo, 10.07.16

JE SUIS PORTUGAIS

Amanhã, de parto natural, nascerá um novo campeão da Europa de Futebol. E o seu nome é PORTUGAL.

 
 

 
11 comentários
Comentários
Celina Gonçalves Branco
 
Celina Gonçalves Branco Assim espero!
 
José Antônio Machado Ribeiro
 
José Antônio Machado Ribeiro Estamos na torcida!!!!
 
Maria Adelaide
 
Maria Adelaide deus te oiça
 
Marieta Sousa
 
Marieta Sousa Esperemos que seja um parto naturalissimo, mas se for de cesariana, também não faz mal! Desde que nasça bem, sem defeitos, todos ficamos felizes😂
 
Angela Monteiro
 
Angela Monteiro Que assim seja!
 
Angelina Ribeiro
 
Angelina Ribeiro Com sertesa sem duvida
 
João Ribeiro
 
João Ribeiro Completamente de acordo,e assino em baixo,Viva Portugal Campeão!
 
Isabel Machado
 
Isabel Machado Que assim seja....
 
Elisabete Vagos
 
Elisabete Vagos Oxalá!!!!!!
 
Agostinho Gomes Ribeiro
 
Agostinho Gomes Ribeiro Seria ótimo que assim fosse. Torcida não faltará.
 
Francisco Da Cunha Ribeiro respondeu · 1 resposta

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 01:42

A FORÇA DO TALENTO

por Francisco Gomes, Terça-feira, 05.07.16

No tempo de Jesus Cristo, “Talento” era uma medida monetária, equivalente nos dias de hoje, a 26 quilos de ouro. Era uma fábula e poucas pessoas, naquele tempo tinham essa fortuna. Jesus Cristo contou uma “Parábola” sobre “os Talentos” e foi a partir dessa “Parábola” que o talento passou a  designar habilidades ou aptidões das pessoas.

Nós conhecemos muitas pessoas talentosas, do passado, do presente e certamente no futuro irão aparecer outras que revolucionarão o mundo. O talento é sentido em todas as raças e cores. Na literatura, quantos escritores famosos já passaram pelo mundo, nas artes, na pintura, na escultura e na ciência, muitos homens têm colocado o talento que Deus lhes deu a serviço da humanidade. É verdade que também outros têm desenvolvido armas e outras maneiras de prejudicar a vida no planeta.

Não podemos negar que existem muitas pessoas talentosas, na astronomia, recentemente foi colocado um Robô na superfície de um Cometa. Temos talentos na música, no cinema, na culinária, nos desportos e vários segmentos da humanidade. Grandes obras têm aparecido elevando o nome de Deus. Mas também encontramos outros que atribuem ao seu estudo e ao seu esforço o sucesso que conseguem alcançar, não admitem que Deus esteja por detrás do talento de cada um. Vale lembrar aquela expressão tumular de Alexandre Dumas, no romance o Conde de Monte Cristo, ao jovem que, vítima de uma injustiça terrível, dizia não acreditar em mais nada. “Não se preocupe, mesmo que  você não acredite em Deus, Deus sempre vai acreditar em você”

Todas as capacidades humanas inspiradas por Deus, são uma bênção para a humanidade, não seria necessária essa “parábola” de Jesus Cristo para justificar isso. Mas o que Jesus quer nos dizer com suas parábolas, é que ele nos deixou um tesouro de valor incalculável, nas suas Palavras e nos seus ensinamentos. Tesouros que guardamos nos vasos de argila do nosso consciente e que não podem ser guardados só para nós. O Cristão precisa deixar de lado a mesquinhez e multiplicar os Dons que Deus lhes deu e dividi-los entre todos. Porque todo e qualquer talento deve ser colocado ao serviço da humanidade.

Assim, “O Senhor dos Talentos” que nos mandou amar e servir, virá um dia e encontrará muitas vidas renovadas com o nosso esforço e a nossa luta pelo bem comum. Nós devemos amar-nos uns aos outros, com tanta intensidade que chegue a despertar inveja naqueles que não pertencem ao nosso convívio. “Olha como eles se amam”.

      

Deus abençoe a todos

               

Agostinho  Gomes  Ribeiro  

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 21:38

A VIDA É UM GOLPE

por Francisco Gomes, Terça-feira, 05.07.16

No final do ano passado completei 83 anos, no inicio de 2016, pensei em escrever um texto sobre a vida. Desisti. Afinal quem consegue passar dos 80 não pode se queixar da vida, mas no inicio do ano, no   Brasil, começaram a falar tanto em golpe que eu resolvi retomar o texto, considerando que a própria vida já é um golpe, pois em todos os sentidos e sobre vários aspetos, pode-se dizer que desde o nascimento até à morte, a vida é um grande golpe, constituindo ainda uma sequência de golpes menores.

Pensar na vida como um golpe, remete à data do meu nascimento, no dia 23 de dezembro de 1932, mas que só foi levado em consideração, no dia  01 de janeiro de 1933. Isto significa que eu posso festejar o meu aniversário na clandestinidade. A 83 anos do meu nascimento, veio à luz essa discussão inflamada e muitas vezes duvidosa, se é ou não é golpe.

Mas o primeiro golpe foi realmente o meu nascimento, passou a partir daí a fazer um paralelo com a morte, passamos a caminhar lado a  lado, a brincar de esconder um do outro, sabendo que um dia vamos ficar cara a cara e não terá jeito, tenho que entregar os pontos. Mas, segundo dizem as pessoas, a morte é um novo parto, ou então uma viagem para um lugar infinitamente melhor, deixa-nos mais aliviados, mas sempre procuramos driblar esse encontro.

O nascer e o morrer devem ser igualmente frios. Depois de nove messes dentro do carinhoso útero de minha mãe, naquele calor materno, ao nascer e dar de cara com um ambiente  estranho e uma porção de caras desconhecidas, deve dar um frio na barriga. Eu não lembro a hora do meu parto, também não quero saber da hora da minha morte. Só sei que acontecerá um dia, não sei quando,  como e nem onde.

Em filosofia, o principio da vida (Eros), coincide com o momento da morte (Tanatos).  Em cada golpe que acontece connosco, vem o desejo de voltar para o útero materno, sumir da vida, bradar que não pedi para vir para este mundo, reclamar da vida ou que já estamos cansados de viver. Mas não adianta reclamar e nem lamentar, veio para este  mundo, tem que aguentar.

Sofremos  vários golpes que nos trazem muita tristeza, a morte de familiares e amigos,  finalmente um golpe doloroso, a  partida da companheira de tantos anos. Conforta-me a direção da chama da vela, sempre para o alto, para onde espero que tenham ido todos aqueles que já partiram.

   

Deus abençoe a todos

        

Agostinho  Gomes  Ribeiro

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 21:32

Quem não se lembra?

por cunha ribeiro, Terça-feira, 05.07.16

Ano de 2009. 

Festa realizada por três povoações da Freguesia de Soutelo de Aguiar: Parada de Aguiar, Fontes e a Sede da Freguesia, Soutelo.

Foi a última grande festa em honra de S. Pedro.

Renovo os parabéns aos mordomos que organizaram brilhantemente esta Festa: João Baptista Machado Ribeiro, Albino Ribeiro e Tiago Pires  (perdoem-me os de Soutelo e Fontes, que não cito por não saber quem foram)

 

s pedro 2.jpg

 Foto de Fernando Ribeiro/ Texto de Francisco Ribeiro

DE S. PEDRO À “FONTE DO MOURO”

 

 

 

No dia da “festa de S.Pedro”, em Parada de Aguiar, depois de bem comidos e bem bebidos, eu e alguns convidados zarpámos da sala de jantar do João ( “Brasileiro” de nome, mas português de gema) e, com as barrigas em arco, rebolamos estrada acima, pela encosta da “Cruz”, até à “Cuscarreira”.

 

.

.

 

Aí chegados, encostámos as ditas ao balcão da Lígia, enquanto tomámos um saboroso café. Cá fora, na “esplanada”, a Banda de Música do Pontido, alegrava, afinadíssima, os populares que ali estavam; lá dentro, à ilharga de dois ilustres representantes do povo (os Srs. presidentes, da Junta e da Câmara) bebia-se e jogava-se “a sueca”.

 

.

.

 

Depois de um breve relaxe musical, ziguezagueámos pelas ruas da aldeia, até chegarmos ao ermo da dita, lá onde brota a fresca água da Fonte do Mouro.

Manda a verdade dizer que, quase me arrependi de lá ir, já que, a páginas tantas, a curiosidade de um dos que me acompanhavam me encostou a memória à parede, e indagou:

- Qual é a origem histórica da fonte?

Não tive saída. E confessei a minha rotunda ignorância sobre o assunto.

Já refeito dos exageros do cabrito assado e do vinho da Régua, e também, da triste  figura que fiz, pus-me a remoer o assunto (enquanto fui descorando a vergonha, com a  íntima  convicção de que, ninguém na aldeia teria, afinal, mais airosa saída que a minha):

 

.

.

 

Será que o nome, “do Mouro”, com que baptizaram a fonte - com larga abóbada em granito a coroar-lhe a frescura, e dois grandes bancos em pedra, a convidar ao namoro - se liga à história do nosso passado mourisco?

Ou, pelo contrário, essa designação não passa de um truque moderno, fazendo “recuar”  as origens da fonte a um passado fantástico, onde as lendas de fadas mouriscas (e as histórias de bruxas e lobisomens) faziam sonhar o povo?

Talvez o Sr. Presidente da Junta se lembre de, no seu programa eleitoral, encontrar uma rubrica que valorize a história e da cultura da(s) nossa(s) aldeia(s), concluída que está a obra prima do seu mandato: “ O Largo da Cruz Carreira”.

 

Francisco Ribeiro

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 12:09

OS LUNÁTICOS

por Francisco Gomes, Sexta-feira, 01.07.16

Na metade do século IV, nasceu na Dalmácia, uma antiga província romana, um belíssimo litoral, onde hoje é a Croácia, junto ao Mar Adriático, um menino a quem chamaram de Jerônimo, morreu em 420, com 73 anos de idade. Andou por vários lugares, aderiu ao Cristianismo, viveu em Constantinopla ( hoje Istambul), viveu também alguns anos em Belém de Judá, perto de Jerusalém. Falamos de São Jerônimo, uma personalidade da Igreja Católica, considerado como uma das figuras da constituição religiosa do mundo moderno Juntamente com Santo Agostinho, Santo  Ambrósio e Santo Isidoro de Sevilha, formaram os quatro pilares da Igreja no Ocidente.

São Jerônimo foi o tradutor da Bíblia, dos seus textos originais, aramaico,  Hebraico e  grego, para o Latim. É a Bíblia oficial da Igreja Católica, conhecida como “Vulgata”, isto é: “Edição Divulgada.” Foi também o autor de uma célebre frase, muito curiosa, mas que designa alguém, considerado maluco ou avoado. Como as pessoas perturbadas sofriam a influência  das fases da Lua, chamou-os de “Lunáticos”. Este termo também identifica as pessoas que vivem na ilusão, “no mundo da Lua.”

Os homens da Era Moderna, também são chamados de Lunáticos, pela ansiedade de irem à Lua. Para fazer nela um “tour”, isto é, turistas. Por milhares de anos, o homem ainda que vivendo na “Terra Desconhecida”, fixaram um olhar nostálgico, naquele lugar, bem distante de nós, mas um lugar inédito e sedutor. O homem ainda não conseguiu desvendar todos os mistérios da Terra, mas já foi à Lua, o nosso Satélite natural. Aliás, os homens já conseguiram violar sua  intimidade por seis vezes. Construíram dezassete naves Apolo, um deus grego identificado com o Sol. A primeira nave a levar homens à Lua, foi a Apolo 11 em julho de 1969. Daí, até á Apolo 17, somente a 13 não atingiu a Lua. As seis restantes levaram homens à Lua. De 1969 a 1972, doze astronautas  estiveram na Lua. Agora querem ir  a Marte.

A palavra astronauta, foi criada por Júlio Verne, que faleceu em 1905. Seus livros parecem verdadeiras viagens de turismo. São eles: Cinco dias num Balão. Viagem ao Centro da Terra. Da Terra à Lua. Vinte mil Léguas Submarinas. A Ilha Misteriosa.  Volta ao Mundo em Oitenta dias. Toda essa Obra Literária, é um incentivo a viajar pelo Espaço Desconhecido. Se eu fosse mais novo, com certeza, tentaria ir à Lua.

“Lua, ó Lua, que brilhas no Céu todo estrelado. Vira um pouquinho aqui para a Rua e mostra  para mim o outro lado.

Eu gosto de você ó Lua, mas tenho um desgosto profundo. Você só mostra para mim, o lado que mostra a todo o mundo.

Deus abençoe a todos   

Agostinho  Gomes  Ribeiro 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 21:53

Capela de Parada de Aguiar e Rua do Arco, com ef. especiais


Created by Watereffect.net
Created by Watereffect.net


Comentários recentes




IMAGENS DA NOSSA TERRA

CLIQUE NA FOTO PARA ACEDER À GALERIA DE IMAGENS DE PARADA DE AGUIAR parada em ponto grande para imagem de fundo.

GENTE DA NOSSA TERRA

minha imagem para.jpg


subscrever feeds



Pág. 3/3