Created by Watereffect.net Created by Watereffect.net

Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



BLOGUE PARADA DE AGUIAR - Mais sobre mim


calendário

Março 2012

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031


Pesquisar

 

PARADA DO CORGO

viveiro em 1987


Mentira - Todos eles já terão arrecadado mais, muito mais, do que se fossem indemnizados

por cunha ribeiro, Domingo, 11.03.12

Gestores da Parque Escolar sem indemnização

11.03.2012 - 13:32 Por Clara Viana

  • 1 de 1 notícias em Educação
O Ministério da Educação e Ciência garantiu ao PÚBLICO que "não há lugar a indemnizações" (Foto: Adriano Miranda)
 Relatório da IGF já está na comissão parlamentar de Educação. O seu presidente, Ribeiro e Castro, não esconde críticas à empresa.

O Ministério da Educação e Ciência garantiu ontem ao PÚBLICO que "não há lugar a indemnizações" para os quatro membros do conselho de administração da empresa pública Parque Escolar que renunciaram ao cargo, na sexta-feira. Três dos membros que renunciaram, incluindo o presidente do conselho de administração, Sintra Nunes, estavam em funções desde a fundação da empresa, em 2007. O outro elemento foi nomeado em 2009. À frente da empresa mantém-se a única administradora nomeada pelo actual Governo, que não se demitiu.

A renúncia de quatro dos cinco membros da administração da Parque Escolar foi comunicada ao ministro da Educação e Ciência, Nuno Crato, durante uma reunião onde este os tencionava demitir. A saída dos administradores da Parque Escolar segue-se à divulgação pelo ministério das conclusões da auditoria feita à empresa pela Inspecção-geral de Finanças (IGF), onde se confirma um quadro de derrapagem de custos do programa de modernização das escolas secundárias gerido por aquela empresa.

Segundo a IGF, o investimento médio real por escola é 66% superior ao que tinha sido previsto. Com metade do programa executado, a Parque Escolar já tinha excedido o investimento global estimado para todo o programa, refere-se.

O relatório seguiu sexta-feira para a comissão parlamentar de Educação, confirmou o seu presidente, o deputado do CDS/PP Ribeiro e Castro. Quando era líder do CDS/PP, Ribeiro e Castro foi dos primeiros a opor-se publicamente à constituição da Parque Escolar.

As visitas que posteriormente tem efectuado a escolas confirmaram os seus receios: "Pelo arrastar das obras, pela derrapagem dos custos, pela desproporção dos gastos" e pelos custos que as intervenções, quando concluídas, acarretam para a gestão corrente da escolas. "A factura energética é devastadora", frisa. Muitas das soluções adoptadas foram também criticadas pela IGF.

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 21:08

Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.



Comentários recentes




GENTE DA NOSSA TERRA

minha imagem para.jpg


subscrever feeds