Created by Watereffect.net Created by Watereffect.net

Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



BLOGUE PARADA DE AGUIAR - Mais sobre mim


calendário

Abril 2012

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930


página de fãs


Pesquisar

 

Google Maps


Ver mapa maior

PARADA DO CORGO

viveiro em 1987


Os caminhos do PS aguiarense - Entrevista ao Presidente da Concelhia ( Fonte: Jornal PQ)

por cunha ribeiro, Sábado, 28.04.12
"O PS sai deste acto eleitoral reforçado e os militantes eleitos, nos quais me incluo, estão cientes do seu dever e responsabilidade"

No passado dia 2 de Junho tomaram posse os membros que integram a comissão política do Partido Socialista de Vila Pouca de Aguiar, eleita pelo método de hont, após o acto eleitoral interno desta estrutura partidária que decorreu no dia 10 de Abril de 2010.
A esta eleição concorreram três listas e votaram cerca de 90% dos militantes inscritos na secção, tendo sido um dos actos eleitorais internos mais concorridos de que há memória.
Face aos resultados eleitorais, a comissão política é, agora, presidida por Paulo Pinto, distinto Advogado da praça aguiarense, com 43 anos de idade, sobejamente conhecido pela sua intervenção na vida político-partidária, mas, também, associativa e cívica.
Com a tomada de posse no passado dia 2 de Junho o PS inicia, assim, um novo percurso sob uma nova liderança.
O PQ teve a oportunidade de saber um pouco mais sobre este novo projecto do Partido Socialista aguiarense, pelas palavras do seu actual líder.

 

PQ- Ao acto eleitoral concorreram três listas. Qual foi a sua motivação na apresentação de uma lista?
Paulo Pinto- 
Cumprir o dever de participação activa enquanto militante do PS, dar o meu contributo e a minha disponibilidade para mobilizar e unir os militantes e, em ultima instância, ajudar na credibilização do PS em Vila Pouca de Aguiar. 
 
PQ- Tendo em conta a expressividade dos resultados, sente um apoio confortável dos militantes socialistas para o seu projecto?

PP- 
O debate gerado durante o acto eleitoral foi clarificador e, como tal, considero que os militantes do PS foram absolutamente claros na sua escolha. Temos, contudo, a consciência que o mandato conferido é elucidativo da necessidade de adaptar a postura do PS aos novos desafios que se colocam para Vila Pouca de Aguiar. Para isso exige-se a assunção de novos caminhos para o PS em Vila Pouca de Aguiar e, nestes novos caminhos, conto com o apoio de todos os militantes e simpatizantes do Partido. 

PQ- O PS sai deste acto eleitoral dividido?
PP- 
Pelo contrário. A união sai reforçada. De facto, ficou demonstrado que o PS sabe viver na sua diversidade. O PS sai deste acto eleitoral reforçado e os militantes eleitos, nos quais me incluo, estão cientes do seu dever e responsabilidade. A eleição da Comissão Política a que presido correu de forma exemplar e com elevada participação. O que permite afirmar, convictamente, que não poderemos deixar de retirar dai um verdadeiro sinal de esperança para todos. O PS está motivado no desenvolvimento de uma oposição séria e responsável, capaz de satisfazer as exigências do eleitorado. O facto de ter existido uma elevada afluência ao acto eleitoral demonstra que os militantes pretendem colaborar com as estruturas concelhias na credibilização do PS local.   

PQ- O Partido Socialista tem vindo a perder eleitorado desde 2001. A que se deve tal factualidade? 
PP-
 Efectivamente nos últimos anos o PS tem tido enormes dificuldades de afirmação do seu projecto autárquico. Tal facto é resultado, essencialmente, de algum devaneio organizativo da própria estrutura concelhia do PS, o que se traduziu, também, em fraqueza ou debilidade na oposição desenvolvida à governação autárquica do PSD.

PQ- Considera que o PS tem, ainda, força suficiente para inverter esta linha descendente, a nível de votantes?
PP- 
Em Vila Pouca de Aguiar o PS já demonstrou no passado ser capaz de sair do papel de Partido quase moribundo e tornar-se poder maioritário na autarquia aguiarense. Acredito que, mais uma vez, o PS irá construir um projecto que vá de encontro àquilo que são as exigências do tempo actual, que todos sabemos, de dificuldades, mas também de enorme expectativa em relação ao futuro. O PS organizado, unido e mobilizador irá afirmar as suas ideias e os seus projectos, e acabará por alcançar novamente a confiança do eleitorado.

PQ- Com a liderança do Dr. Paulo Pinto, o que vai mudar no Partido Socialista, incluindo, na oposição a desenvolver a nível autárquico?
PP-
 Vai organizar-se enquanto estrutura, vai tornar-se oposição forte e afirmar-se como verdadeira alternativa, vai evidenciar aquilo que é a sua matriz social e, essencialmente, dar voz às preocupações dos aguiarenses e a todos aqueles que se sentem marginalizados e até maltratados pelo actual poder autárquico. Será uma oposição séria, responsável, motivada e empenhada na melhoria da vida de todos os aguiarenses.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 13:57


Comentários recentes




GENTE DA NOSSA TERRA

minha imagem para.jpg