Created by Watereffect.net Created by Watereffect.net

Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


BLOGUE PARADA DE AGUIAR - Mais sobre mim


Colaboradores - Clique nas fotos para aceder aos textos de cada Colaborador

ela, 2. antonio candido . 8341659518_ecc98db9f2_m . Cândida dos Reis Dias Pinto . minha foto. agostinho ribeiro . agostinho . francisco gomes .

calendário

Outubro 2018

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031


CONTADOR DE VISITAS


contador View My Stats

página de fãs


Pesquisar

 

sitemeter


Google Maps


Ver mapa maior

PARADA DO CORGO

viveiro em 1987


ABISMO ENTRE AS RAÇAS

por Francisco Gomes, Quarta-feira, 26.07.17

Muitas pessoas trabalham, outras querem trabalhar, mas não têm trabalho. O desemprego é uma epidemia, que pode a qualquer momento, contaminar qualquer pessoa. Pretos, brancos ou mestiços, todos estão sujeitos a serem atacados por esta epidemia dos tempos modernos. A maior “balela” que sempre escutei “é que todos são iguais perante a lei”, isto é o que afirmam os Direitos Humanos, mas uns são mais iguais que outros.

 Entrei no cenário da vida brasileira, há sessenta e sete anos. Já vi e assisti muitos fatos inacreditáveis. Na década de 50 do século passado, ser negro era uma tragédia, era sinônimo de marginal e ladrão. O Brasil viveu quase quatro séculos de escravidão. O negro era visto como uma mercadoria humana Esta chaga foi banida no dia 13 de maio de 1888, mas criou outra situação, não de escravo físico, mas de escravo moral. Os negros foram libertados, mas sem direito a qualquer benefício, não tinham como viver. Então, eram obrigados a praticar pequenos roubos de alimentos, daí surgiram os estigmas de que os negros eram ladrões. A situação melhorou um pouco, a partir de 1956, com a Lei Afonso Arinos, que criminalizava o racismo. Mas, hoje em muitos lugares, ainda assistimos cenas de racismo.

 Na semana passada, em plena rua acercou-se de mim um homem de uns 45 anos e disse: “sou negro, mas não sou ladrão”, só preciso do dinheiro para a minha condução, para voltar para casa. Saí de manhã cedo, catei os únicos centavos que tinha e vim atrás de um trabalho, mas não consegui nada. Ao olhar este brasileiro desempregado, senti em suas palavras, um resumo do abismo que se criou entre as raças. Tirei do bolso uma nota de 50 reais e estendi para ele. Ele olhou para mim espantado e disse: a minha condução é oito reais, isto é muito dinheiro. Você não está com fome? Vi duas lágrimas descer no rosto negro daquele homem. Disse estou e meus dois filhos que ficaram em casa também, a sorte deles se na escola tiver comida. Minha esposa me abandonou já faz tempo, desde que perdi o último emprego.

Quis segurar minha mão para beijar, achei aquilo uma autoflagelação moral, não deixei. Aquele homem era a caricatura de uma sociedade hipócrita e de uma democracia grotesca, onde muitos se prevalecem de seus cargos, roubam o que podem. Mas ao afirmar que todos os brasileiros são ladrões, é uma teoria louca e inaceitável. Já assisti muitas coisas e posso afirmar que não existe lugar no mundo, onde as misturas de raças vivam com tanta harmonia, como o Brasil.

   

Deus abençoe a todos

      

Agostinho Gomes Ribeiro

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 21:47

A FALTA DE ASSUNTO

por Francisco Gomes, Quarta-feira, 26.07.17

Parece ridículo reclamar a falta de assunto para escrever, neste mundo que não faltam assuntos, pois todos os dias acontecem fatos que chamam nossa atenção. O grande perigo consiste em que as pessoas comecem a aceitar como normais, acontecimentos que prejudicam a humanidade, principalmente o terrorismo.

O Islamismo ou Muçulmanos foi uma religião criada por Maomé, no século VII, para enfrentar o Cristianismo, que após a queda do Império Romano do Oriente, passou a predominar no mundo. A prova desta oposição está no primeiro mandamento do Corão, que mandava matar um Cristão por dia. Com o correr dos anos, muitos governantes foram amenizando, mas o veneno ficou na raiz. Muitos Cristãos pagaram com a vida, como aqueles 30.000 Armênios que foram mortos pelos muçulmanos turcos.

Em vários países temos hoje o famigerado Exército Islâmico, descendente de outros movimentos terroristas que já semearam o pânico no mundo, com o sacrifício de milhares de vidas. O Exército Islâmico está a ressuscitar o antigo Islamismo. Muitos governos se dizem contra, mas nada fazem para impedi-los de agir. Esse famigerado movimento mais a guerra na Síria são os responsáveis pelos milhares de refugiados que procuram principalmente na Europa, um local para viverem em paz. Somente este ano, mais de 3.000 pessoas já foram sepultadas no fundo do Mar Mediterrâneo, um Mar que evidencia a paz, mas convive com o terror. A grande tristeza é a quantidade de crianças, vítimas destas injustiças.

Quando aconteceu o 11 de setembro de 2001, que milhares de americanos pagaram com a vida, o fanatismo religioso de um grupo de facínoras, eu pensei que seria o último atentado terrorista a acontecer no mundo. Mas me enganei, pois já aconteceram muitos outros em vários países. Religião quer dizer “Religação” da criatura criada com o seu criador. Que deus criador é esse que esses fanáticos evocam que só é feliz com a desgraça dos outros?

O mundo precisa combater este fanatismo, não pode aceitar esta religião, que só quer prejudicar as pessoas. Esta religião é o botão da flor do mal que pode desabrochar em qualquer lugar. O pior é que existem fanáticos em todo o mundo, embora eles preguem, não pode haver convivência com outras religiões.

     

Deus abençoe a todos

         

Agostinho  Gomes  Ribeiro

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 21:45

FALAR COM DEUS

por Francisco Gomes, Quarta-feira, 19.07.17

Muitas vezes temos necessidade de falar com Deus, expor-lhe os nossos problemas e os nossos desejos. Mas, imediatamente, surge uma dúvida: Quem é Deus? Onde está Deus? Como podemos falar com Deus? Uma coisa é certa: tudo o que acontece connosco, tem suas razões e seus motivos para acontecer.

Deus não é, e nem poderia ser uma pessoa humana. Imagina Deus um jovem, belo e simpático, sentado em sua poltrona no Céu, a olhar e controlar, bilhões de almas, perdidas por esse mundo afora. Também não podemos admitir que Deus seja uma árvore frondosa, que acolhe e protege a todos debaixo de seus ramos. Ou talvez Deus seja um imenso oceano, para onde corre toda a vida terrena, onde todos vão perder sua identidade para sempre. Quem sabe Deus seja o próprio Sol, sem ele não há vida, ou seja, o vento, a chuva, que fertiliza tudo, ou a própria natureza, ou os Universos sem fim. Para mim, Deus é uma força pungente, uma energia muito forte, que nos permite alcançar os mais altos patamares da vida. Quem discordar de mim que me perdoe.

Mas, onde está Deus? Será que se esconde em alguma nuvem, embuçado nos Céus? Como falar com Deus se não temos resposta? Talvez Deus seja o Amor. Aliás, um discípulo de Jesus Cristo, que para muita gente era o “próprio Deus feito homem”, disse certa vez: ”só Deus é Amor.” No entanto, dizem que Deus é imutável, o mesmo, ontem, hoje e sempre. Dizem que Deus fez todas as coisas e até o ser humano, à sua imagem e semelhança. Todos são semelhantes a Deus, isso também é duvidoso. Deus não está sujeito aos quatro sofrimentos da vida: nascer, doenças, velhice e morte, como acontece com todos os seres humanos.

Se Deus fosse um ser humano, seria um super homem, teria uma paciência de Jô, pois para aturar tantas pessoas diferentes e cheias de preconceito, atender a tantos pedidos imaginários, Deus já teria desaparecido das mentes humanas. Volto ao meu pensamento inicial. Deus para mim, é uma força que atua dentro de cada um, que nos proporciona os prazeres na vida, nos inspira o amor pela natureza, nos dá a tremedeira quando estamos com medo. Move o amor entre as famílias, as amizades. Dá-nos o bem estar e as preocupações.

 Quando me proponho a olhar as estrelas, a imensidão deste universo, as criaturas, meus irmãos, olho para o Céu, não vejo lógica, não vejo técnica, não vejo ciência, só vejo Deus. Quem não achar Deus desta maneira, procure-o de outro modo, em outro lugar.

    

Deus abençoe a todos 

        

Agostinho Gomes Ribeiro

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 21:53

COMER É MUITO BOM

por Francisco Gomes, Quarta-feira, 19.07.17

Para nós humanos, comer não é um ato meramente biológico, mas uma verdadeira obra de arte. Não avançamos nos alimentos como fazem os abutres na carniça ou os cães que rasgam com os dentes a carne presa aos ossos. Para nós comer é um ritual, uma festa. Comemos com a boca, com os olhos, com o odor e até com o contato. Nosso apetite desperta com o chiar da frigideira, com o borbulhar da sopa na panela, ou até com o cheirinho do suflê.

É uma falta de reconhecimento não prestar homenagem a quem, com tanto carinho, faz a comida para nós. Por isso, é blasfêmia comer sozinho, de olho na TV ou na Internet, não saborear cada pedaço que levamos à boca. É igualmente pecado suscitar na hora das refeições, emoções negativas e fatos tristes.  É empobrecer a nossa humanidade, matar a fome com alimentos de procedência duvidosa, como certos sanduíches recheados com carne que não conseguimos identificar.

Cozinhar é uma arte milenar e nos identifica como seres culturais. Os demais animais ignoram a condição humana, não conhecem o preparo das delícias, pois comem tudo ao natural. É verdade que os humanos são relativamente mais fracos e mais sujeitos a várias doenças, pois só comem os alimentos cozidos que perdem muitos nutrientes. Seria para nos mais proveitoso, se pudéssemos ingerir alimentos ao natural, se pudéssemos saborear a própria natureza.

Nós somos umas usinas de reciclagem da natureza. Ela nos oferece verduras, legumes, cereais, carnes, frutas, os nutrientes essenciais à nossa vida. Cada célula, cada molécula do nosso corpo, se fortalece com os alimentos que ingerimos. Toda a nossa constituição biológica, até o cérebro é um complexo harmonioso do nosso sistema digestivo.

Comer é dar um beijo na boca da natureza, pois tudo o que usamos como alimento, nos é dado por ela. Comer é um perfeito relacionamento com a fauna e a flora, a atmosfera e a água. Comer é também uma liturgia. Temos uma mesa, forramos com toalha, dispomos os pratos, os talheres e os copos. Sentados á mesa, saboreamos os alimentos, geralmente na companhia de familiares e amigos. Todas as grandes soluções da humanidade, aconteceram sentados ao redor de uma mesa, sempre numa refeição.

    

Deus abençoe a todos

         

Agostinho Gomes Ribeiro  

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 21:51

O ÚLTIMO DESEJO

por Francisco Gomes, Quarta-feira, 12.07.17

No leito de um hospital, diante do iminente desenlace, um homem pergunta a seu médico: “Doutor, tenho muito medo da morte, por favor, me responda”? Com todo o seu conhecimento científico, com toda a sua experiência na medicina, o que me espera depois da morte? O que vai acontecer comigo? O médico olhou o doente, cheio de ternura, porque viu seu rosto todo iluminado, uma luz estranha invadira o quarto, e balbuciou: não sei. Não sabe? Repetiu dececionado o doente. O médico confirmou que não sabia.

Mas disposto a atender o último desejo do doente, encaminhou-se para a porta e abriu-a. No mesmo instante o cãozinho do paciente, irrompe pelo quarto adentro e num salto, pula em cima do dono, seu amigo e começa a lamber o seu rosto. Voltando-se para o doente, o médico lhe disse: Viu o que aconteceu neste quarto? Seu cãozinho nunca havia estado neste hospital, mas porque sabia que atrás daquela porta se encontrava o seu grande amigo, logo que se abriu ele entrou correndo cheio de alegria ao seu encontro? Eu também não sei o que nos espera após a morte, mas porque sei que atrás da porta da vida, se encontra Deus, meu grande amigo, que deu sua vida para me salvar, que disse para todos “Eu sou a Ressurreição e a vida quem crê em mim ainda que esteja morto viverá”. Assim, quando as portas da eternidade se abrir, eu entrarei correndo que nem o seu amigo.

Santo Agostinho, o maior filósofo que a humanidade já conheceu, nos diz que a morte não é o fim de  tudo. Ela é o fim do ciclo material, mas é o inicio do ciclo espiritual. Cada um de nós acredite ou não, somos portadores de dois ciclos, o material que pertence a este mundo e o espiritual que nos é dado por Deus, que é a dignidade de sermos sua Imagem e Semelhança. Quando chegar a hora da nossa partida, devemos sentir saudades, mas tristeza jamais, por havermos perdido o convívio dos nossos ante queridos que continuarão sua vida neste mundo.

Na hora da nossa partida, a certeza e a fé de que alguém nos espera de braços abertos, é muito reconfortante e consoladora, não podemos esquecer as palavras do próprio Cristo que nos diz: “Não se perturbe o vosso coração, na Casa de meu Pai existe muitas moradas, eu vou preparar uma morada para vós, e quando essa morada ficar pronta, eu voltarei para levar vocês comigo. Assim onde eu estiver vós estareis também”.

Jesus Cristo é o Caminho, a Verdade e a Vida, ninguém consegue chegar ao Céu, se não for por meio Dele.

     

Deus abençoe a todos

          

Agostinho  Gomes  Ribeiro

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 21:30

A PREVIDÊNCIA SOCIAL

por Francisco Gomes, Quarta-feira, 05.07.17

A Previdência Social no Brasil, começou em 1937 na Ditadura Vargas. Foram criados os IAPS, os Institutos de Aposentadoria e Pensões, para cada classe trabalhadora. O IAPC, para o Comércio, o IAPI, para a Indústria, IAPTC para os Transportes e cargas, o IAPB, para os Bancários, o IPASE, para o Servidor Público, e por aí afora. Cada IAP tinha a responsabilidade da classe, em serviço de saúde e auxilio doença, auxilio natalidade, auxilio funeral e finalmente a Aposentadoria. Cada IAP tinha o seu hospital e construía conjuntos habitacionais, para os segurados. Ainda hoje são famosos, vários Conjuntos Habitacionais construídos nos subúrbios do Rio de Janeiro.

Quando entrei no mercado de trabalho, pertencia ao IAPC. De 13 de março a 23 de dezembro,  de 1961, estive afastado por doença. Embora estivesse na Beneficência Portuguesa, hospital particular recebia a cada semana a visita do médico do IAPC, recebia o meu salário todos os meses. Tudo funcionava muito bem. Em 1973, o governo da Ditadura Militar, resolveu acabar com os IAPS e criar o Ministério da Previdência Social, que ficou somente com a assistência Social e as aposentadorias. O serviço de saúde passou para o Ministério da Saúde, e o serviço de moradias, passou para o Banco Nacional da Habitação, hoje já extinto.

Em 1986, quando acabou a Ditadura e voltamos à Democracia, a Previdência foi alvo de muitos roubos, principalmente nos Acidentes de Trabalho. Vários Juízes e advogados ficaram ricos com as falcatruas. Também começou as aposentadorias fraudulentas, era uma verdadeira indústria, muitas pessoas se aposentavam, com altos salários, sem ter direito a nada. Quando abriram os olhos, a Previdência estava quebrada pelos roubos. Resolveram colocar trancas nas portas, mas já era tarde.  Hoje ainda tem muitos inquéritos, muitas pessoas estão sendo investigadas. Muitas, justamente no momento que mais precisam, é que perderam tudo.

Tenho um amigo em Lisboa que entrou nessa, agora pegaram a pensão dele, e não pode voltar ao Brasil, senão vai ser preso. Um casal meu amigo, quase com 90 anos, tiraram-lhe tudo, estão sendo sustentados pelos filhos, vivem a pedir-me remédios. Hoje a Previdência está a fazer uma limpa. No mês passado, cancelou mais de 50% dos auxílios doenças. Aliás, todas as Previdências no mundo, estão a enfrentar problemas. O Brasil é o alto desemprego e expectativa de vida das pessoas que aumentou muito. Há necessidade de grandes Reformas, mas é difícil para o governo faze-las.

 

Deus abençoe a todos

      

Agostinho  Gomes  Ribeiro

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 21:27

A CULPA É DELA

por Francisco Gomes, Quarta-feira, 05.07.17

Muitos políticos corruptos andam de moral muito baixa, sem o menor remorso, colocam a culpa pelos seus atos, nas esposas, principalmente, se já forem falecidas. Certo político mergulhado na corrupção levantou muito cedo e foi sentar na sala a tomar Wiskie. Sua esposa estranhou ele beber àquela hora e quis saber o que se passava por que levantara tão cedo? Ele disse que a preocupação havia lhe tirado o sono. Ela então quis saber quais os motivos de tanta preocupação? O que ele fizera? Ele, como todos os corruptos, disse que não fizera nada, mas que ela não se metesse nos seus problemas, para não ser acusada, como está acontecendo com outras.

Ela protestou, disse que estavam casados há vinte anos, estavam no mesmo barco, portanto, sentia-se obrigada a fazer o possível para ajuda-lo. Bastava que ele lhe confessasse o que fizera que ela estava disposta a lutar ao lado dele. Ele na maior “cara de pau”, disse que a maior ajuda que ela podia lhe dar, era morrer. Se ela estivesse morta, ele podia  colocar a culpa nela, e tudo estaria resolvido. Era assim que outros procediam. Ela ficou muito preocupada com a ideia de morrer, afinal não estava disposta a esse sacrifício. Ponderou que não podia deixá-lo viúvo e seus filhos órfãos, certamente, haveria outra solução.

Ela disse que ele preparasse uma bebida para ela, enquanto ia trocar de roupa, depois estudariam o  que se podia fazer para ajuda-lo.

Retirou-se por alguns instantes. Quando voltou, sentou à mesa, tomou a bebida e perguntou se ele pensara no que se podia fazer. Ele calmamente disse: o que eu podia fazer, já fiz. Coloquei veneno na tua bebida e dentro de alguns instantes, serás a culpada por tudo  que eu fiz.

É esta a saída que muitos corruptos usam para se livrar das acusações que pesam contra eles. Não têm o menor remorso em colocar a culpa na esposa falecida. Afinal, a morta não pode contestar e nem vai ser incomodada. Muitas mulheres que não tiveram a coragem de morrer estão sendo julgadas e condenadas junto com seus maridos. O pior será se os espíritos dessas mulheres, resolverem fazer uma “delação premiada” e revelar todos os macetes. 

   

Deus abençoe a todos

      

Agostinho  Gomes  Ribeiro

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 21:22

AS GRANDES COLUNAS

por Francisco Gomes, Quinta-feira, 29.06.17

O mês de junho que está a terminar, é muito especial no calendário, é quando começa o verão no Hemisfério Norte, e o inverno no Hemisfério Sul.

Também temos no dia 22, o maior e o menor dia do ano, consequentemente, a maior e a menor noite. No Rio de Janeiro por ser inter tropical, quase não se sente diferença entre os dias e as noites. Também acontece pouca variação de temperatura entre as duas estações do ano. Neste mês se festejam em todo o mundo, as quatro grandes colunas da Igreja, os Santos António, João, Pedro e Paulo.

Santo António, dia 13, é festejado como Santo António de Lisboa, onde nasceu em 1195 e Santo António de Pádua, onde morreu em 1231. “É apontado pela tradição como o Santo Casamenteiro”. Foi contemporâneo de São Francisco de Assis, de quem se tornou companheiro, como Frade Franciscano. 

São João festeja-se no dia 24. A Bíblia Sagrada nos fala de dois santos chamados João, o Batista e o Evangelista. Este que festejamos em junho, é o Batista, o filho de Isabel e Zacarias, parentes de Jesus Cristo. João Batista é chamado de “O Precursor”, pois veio preparar o caminho para Jesus Cristo. Condenava as mazelas e bandalheiras do Governador da Galileia, Herodes Antipas, por isso teve sua cabeça cortada. É o único Santo que tem dois dias no Calendário Litúrgico, dia 24 de junho, nascimento e dia 27 de agosto, a morte. O nascimento do Batista aconteceu seis meses antes do nascimento de Jesus Cristo. A 25 de dezembro.

 São Pedro e São Paulo festejam-se a 29 de junho. Não sabemos ao certo o dia da morte destes santos este dia lembra o translado dos restos mortais, das “Catacumbas”, para uma Igreja construída em suas homenagens na cidade de Roma.  São Paulo é festejado também no dia 25 de janeiro, a sua conversão ao Cristianismo, já que ele era perseguidor dos Cristãos na cidade e Jerusalém.

Estes três Santos são muito festejados principalmente no Brasil. Na cidade do Rio de Janeiro, é um mês com muitas festas, locais embandeirados com bandeiras coloridas, músicas tradicionais, casamentos na Roça, fogueiras e comidas típicas. É uma época em que soltam muitos balões, mas que se transformam em grandes perigos por causa dos incêndios.

Santo António, São João, São Pedro e São Paulo, sejam os  nossos protetores junto   Deus.

    

Deus abençoe a todos

          

Agostinho Gomes Ribeiro

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 21:43

A GRANDE BELEZA

por Francisco Gomes, Quinta-feira, 29.06.17

Não existe nada mais belo do que um corpo humano. É a obra máxima de um Deus Criador. Faz parte de um conjunto de belezas a quem damos o nome de Natureza. Cada ser humano que vive neste Planeta, deve ser olhado com muito carinho, pois todos são verdadeiras Imagens e semelhanças de Deus. Cada parte do corpo humano é de uma perfeição exclusiva, isto é, não existe nada mais perfeito e completo do que ele.

Admiramos os olhos, não importa a sua cor, pois eles sempre nos mostram os lados mais belos da vida. É com eles que podemos apreciar as belezas que Deus criou para nós. Com um simples movimento do olhar, podemos realizar aquilo que nosso coração sente e deseja. Os olhos são os faróis do corpo e os guias da nossa alma. Olhamos a boca circundada pelos lábios, sempre atraentes, não pela beleza da boca, mas pelas palavras que têm o poder de construir ou destruir. Muitas vidas já foram destroçadas por palavras que jamais deveriam ser ditas. Apreciamos os cabelos, sedosos ou não, eles são a identidade da nossa vida. A beleza dos cabelos não está na cor e nem no tratamento que lhe dispensamos, mas no prazer de serem alisados por alguém que a gente gosta. Os ouvidos aptos a escutar aquilo que queremos e também o que não queremos. O importante é filtrar os sons e escolher os mais atraentes.

Os nossos membros inferiores, as nossas pernas, levam o nosso corpo a acompanhar quem não pode caminhar sozinho. Nossos membros superiores, os nossos braços, no fundo de cada um há as mãos, para estender ou para abraçar o nosso próximo. Mãos abertas são aceitação, mãos fechadas são negação.

Para termos um corpo esbelto e atlético, não basta tratar da postura e fazer ginástica, mas também racionar a comida. É uma boa ideia dividir parte da comida com famintos que estão por todos os lugares. Não é a quantidade de comida que alimenta o corpo, mas a qualidade. A maior beleza do corpo humano, não deve estar nos trajes e nem nos produtos de beleza que usamos, mas no comportamento, nos atos e nos vícios que praticamos. A grande beleza está no coração de onde emana o amor que é fonte da vida.

O tempo é o maior inimigo da beleza do corpo.   Uma pessoa que ontem era jovem, hoje já é um idoso, alquebrado, cabelos brancos e pele cheia de rugas. A beleza nos abandona na medida em que o tempo vai passando. Em qualquer fase da vida, é interessante restaurar a beleza do corpo, nunca é tarde para se sonhar e idealizar projetos de vida.  É aconselhável acrescentar vida aos nossos anos, para que a beleza da vida se conserve melhor.

                                                    

Deus abençoe a todas

                                                

Agostinho Gomes Ribeiro

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 21:39

EU TE AMO

por Francisco Gomes, Quarta-feira, 21.06.17

Sempre me questiono quanto à origem desta expressão, eu te amo. Nos meus tempos de adolescente e jovem, não me lembro ter ouvido esta frase de ninguém. Quando já adulto passei a ler alguns Clássicos da Literatura Portuguesa, como Eça de Queirós, li vários romances, li também Camilo Castelo Branco, Guerra Junqueiro, Almeida Garrett, Alexandre Herculano e outros. Em nenhum romance que li, encontrei esta frase “Eu TE Amo”.

Passei a ler também alguns autores brasileiros como Machado de Assis, Jorge Amado, Erico Veríssimo, Euclides da Cunha, José de Alencar e outros. Em nenhum também li esta frase. Em contato com meus familiares e alguns amigos, também nunca me lembra ter ouvido esta expressão. Como de repente passei a escutá-la e a lê-la em poemas da literatura moderna, despertou a minha curiosidade em descobrir como, de onde, surgiu esta expressão, tão suave, “Eu Te Amo.”

Consultei um amigo, professor de Literatura da Universidade Federal, ele com toda a sua autoridade literária, disse-me que esta expressão, eu te amo, é de origem recente, surgiu na Língua Portuguesa, sem que se soubesse de quem era a autoria. Disse ainda que é uma influência  do cinema americano. Passou a ser muito badalada, por alguns poetas modernos e compositores de musicais. Então eu lembrei de uma música de Noel Rosa, onde ele reclamava disso. “ O amor lá no morro, é bom para chuchu, mas no meu samba, não tem I love you.

O amor sempre existiu, mas muito simples e recatado, que não era preciso falar nele a todo o momento. Lembro-me de uma música  composta por Dolores Duran, “A Noite do Meu Bem”, cuja letra me deixava emocionado, isto porque, Meu Bem, a gente escutava em todos os lugares. Não seria um modo diferente de dizer “Eu Te Amo”? Realmente, quem começou a introduzir no cenário brasileiro o eu te amo, foi o poeta e compositor Vinicius de Morais. Escreveu um poema que dizia assim: “Amo-te tanto meu amor, entenda este humano coração, amo-te como amigo, como amante, quero-te aqui na minha mão.”

 Confesso que não entendi nada do que o poeta escreveu. Mas, conclui que amo-te, é a mesma coisa de eu te amo. Alguém tem alguma dúvida?.

    

Deus abençoe a todos

         

Agostinho Gomes Ribeiro

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 21:32

Capela de Parada de Aguiar e Rua do Arco, com ef. especiais


Created by Watereffect.net
Created by Watereffect.net


Comentários recentes




IMAGENS DA NOSSA TERRA

CLIQUE NA FOTO PARA ACEDER À GALERIA DE IMAGENS DE PARADA DE AGUIAR parada em ponto grande para imagem de fundo.

GENTE DA NOSSA TERRA

minha imagem para.jpg


subscrever feeds