Created by Watereffect.net Created by Watereffect.net

Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


BLOGUE PARADA DE AGUIAR - Mais sobre mim


Colaboradores - Clique nas fotos para aceder aos textos de cada Colaborador

ela, 2. antonio candido . 8341659518_ecc98db9f2_m . Cândida dos Reis Dias Pinto . minha foto. agostinho ribeiro . agostinho . francisco gomes .

calendário

Outubro 2019

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031


página de fãs


Pesquisar

 

Google Maps


Ver mapa maior

PARADA DO CORGO

viveiro em 1987


ISTO SIM, É LUCIDEZ E BOM SENSO

por cunha ribeiro, Sábado, 16.03.13
 

Silva Lopes favorável a “cortar muito nas pensões altas” diz que rendimento de Filipe Pinhal é uma “extorsão”
16 Março 2013, 17:51 por Jornal de Negócios
Ex-ministro das Finanças critica um dos principais impulsionadores do Movimento dos Reformados Indignados e diz ser favorável a “grandes cortes nas pensões”, apesar de acreditar que tal não seja aprovado pelo Tribunal Constitucional.

Silva Lopes diz estar em “profundo desacordo” com o Movimento dos Reformados Indignados, mostrando-se favorável a “cortar muito nas pensões altas. Cortar mesmo muito”.

 

Em entrevista ao Dinheiro Vivo, o ex-ministro das Finanças diz que “não vê mal nenhum” que as pensões elevadas possam sofrer um corte de 90%. “Sou a favor de grandes cortes nas pensões. E por mim gostaria muito, embora não acredite que o Tribunal Constitucional aprove isso”, afirmou Silva Lopes, assinalando que esta posição vai “contra o meu próprio interesse”.

 

O ex-ministro das Finanças critica Filipe Pinhal, pelo facto de o ex-presidente do BCP classificar de “extorsão” o corte na sua pensão.” Extorsão é o rendimento que lhe atribuíram. Quando se atribui a um tipo um rendimento de 20 ou 25 mil euros num país onde há gente que tem reformas de 400 euros, isso não é extorsão? Claro que é extorsão”, referiu.

 

Quanto ao corte de 4 mil milhões de euros na despesa que o Governo pretende implementar até 2015, Silva Lopes assinala que “não haverá maneira de fazer cortes sem ser nos salários ou nas remunerações sociais. É por isso que não sou muito entusiasta do corte dos quatro mil milhões de euros, reconheço que talvez seja necessário, mas por agora andava com cuidado”.

 

“Só temos duas alternativas à austeridade: ou conseguimos que nos emprestem mais dinheiro ou conseguimos que aumentem bastante as exportações”, refere Silva Lopes, reconhecendo não ser “grande entusiasta das políticas do governo. O que se passa em Portugal depende mais da senhora Merkel do que do doutorº Passos Coelho. Neste momento, não temos instrumentos nem capacidade para, sozinhos, traçarmos o nosso destino”.

 

Sobre o salário mínimo, Silva Lopes não acredita que uma redução do valor “aumentasse o emprego ou reduzisse muito o desemprego”. Mas alerta que “aumentar o salário mínimo também é difícil porque as empresas estão com muitas dificuldades”.

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 18:49

Capela de Parada de Aguiar e Rua do Arco, com ef. especiais


Created by Watereffect.net
Created by Watereffect.net


Comentários recentes




IMAGENS DA NOSSA TERRA

CLIQUE NA FOTO PARA ACEDER À GALERIA DE IMAGENS DE PARADA DE AGUIAR parada em ponto grande para imagem de fundo.

GENTE DA NOSSA TERRA

minha imagem para.jpg


subscrever feeds