Created by Watereffect.net Created by Watereffect.net

Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


BLOGUE PARADA DE AGUIAR - Mais sobre mim


Colaboradores - Clique nas fotos para aceder aos textos de cada Colaborador

ela, 2. antonio candido . 8341659518_ecc98db9f2_m . Cândida dos Reis Dias Pinto . minha foto. agostinho ribeiro . agostinho . francisco gomes .

calendário

Outubro 2019

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031


página de fãs


Pesquisar

 

Google Maps


Ver mapa maior

PARADA DO CORGO

viveiro em 1987


OS GAYS TAMBÉM SÃO GENTE

por cunha ribeiro, Segunda-feira, 28.12.09

GAYS OU REIS?

CUIDADO COM A PRONÚNCIA

 

Suportável ver isto? Quase: há aqui uma espécie de ELE e de ELA... portanto...

 

Quando, um dia destes, ouvi alguém pronunciar o nome comum dos nossos antigos monarcas (rei) com um “rr” gutural - pronunciado na garganta (tipo “gg”) e não com um “rr” pronunciado com a língua no palato ( céu da boca), como é comum – dei comigo a pensar nesta estranha figura moderna, muito na moda, a que chamam “Gays”. ( Tanto na moda que até o governo se tem preocupado bastante com eles...).

Recuei à escola primária, onde me habituei a apreciar os “gays” como homens duros, de barba rija. O “gay” D. Afonso Henriques, por exemplo, para mim não era “gay” – era um “super-gay”!

http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/5/55/AfonsoI-P.jpg

Claro que o Conquistador só podia ser o que foi: um Grande REI portugues, ponto final.

 

 

A espada que ele usava, usava-a mesmo! E com enorme bravura e coragem!. Não ficava dependurada, como se fosse um mero objecto decorativo.

Voltei ao presente e comparei os gays de agora com os de antigamente. Constato, por exemplo, que os de agora, quase não usam barba. E quanto a “espada”, ninguém lha vê. Muitos nem querem usá-la, ou mesmo tê-la. (“ Que horror!” – exclamam eles quando pensam na “espada”…).

Recuei de novo para lembrar que as “conquistas”  dos “Gays” de outrora eram feitas usando a força bruta, a lança e, sobretudo, a espada, com a qual feriam ou matavam. Agora usam a “língua”, com a qual insinuam, disfarçam, e “lambem”.

 

Nojento... eis a palavra que me parece adequada a legendar esta coisa... Nojenta. E está aqui para isso mesmo, para METER NOJO...a quem ainda nao tinha nojo... desta nojice.

 

A espada dos gays de agora, não corta. Porque os gays de agora detestam ferir ou matar. Preferem “lamber” as pessoas do que matá-las. Outra diferença bem substantiva é que, outrora, os “gays” casavam com as “ga(y)ínhas”. Hoje preferem casar com gays como eles.

Aos gays de hoje não incomoda a procriação. Para eles o prazer não é um meio que se utilize com uma finalidade procriativa ( para ter filhos ). Para eles, o prazer existe como um meio e um fim em si mesmos. O prazer, para os gays actuais, é quase uma masturbação. ( Termo que,espero, não ofenda ninguém…). Só que, em vez de uma auto-masturbação, passa a ser uma hetero-masturbação. Portanto, em certo sentido, os gays também são hetero-sexuais. ( Na medida em  que, para terem prazer, também precisam do “outro sexo”…).

Quero vincar que, embora pareça, não estou a criticar os gays. Respeito-os, aliás, muito. Basta pensar naquilo que eles rejeitam, sem qualquer sentimento de privação, para eu os admirar deveras.

E a minha admiração é ainda maior, quando comparo os gays com os santos.

É certo que os Santos são seres admiráveis porque, entre outras abdicações, desprezam o prazer da carne. Mas se admiramos os santos por abdicarem de certos prazeres, não temos razões (pelo menos idênticas) para também admirarmos os gays? Então os gays não abdicam do supremo e geral prazer dos homens ( e das mulheres) que é o prazer heterossexual? Podem objectar: “ A questão é que os gays, no fundo, não rejeitam qualquer prazer, apenas rejeitam uma das formas de o obter, substituindo-a por outra…”. Ora, em boa lógica, tenho de concordar com a objecção. Mesmo assim, insisto, continuo a admirá-los. Não tanto como admiro os Santos. Mas ainda assim têm da minha parte alguma admiração.

E depois, ainda há outra razão a favor da minha pequena, mas verdadeira, veneração pelos gays: é a vergonha que passam para escaparem ilesos ao gozo fininho dos heterossexuais.

Finalmente, admiro-lhes a perseverança que manifestam ao não desistirem de ser aquilo que em boa verdade eles são – gays.

Lamento, no entanto, desapontar os gays, ao não simpatizar, nem um pouquinho, com o casamento de uns com os outros.

 

 

Foto: William Volcov / Ag. News Free

Tshe! Vejam como se imita tao mal uma instituicao secular como o é o casamento... Imagine-se agora, aqueles dois barbudos ali em cima, aqui nesta imagem... Que bonito que era...eh! eh! eh!

 

É que a Natureza, que é sábia e já muito antiga, ensina-nos que um casal de pombos não é constituído por o que seria uma triste e estúpida união de dois pombos, mas por uma união bem mais divertida e verdadeira: a de  um pombo com uma pomba…

 

03-2008 GTM 0 @ 01:13

Casal de pombos - Cascais, Portugal

 E um burro não seria um autêntico “macho” junto de outro animal com o mesmo sexo. O burro que se preza de ser mesmo burro "casa" com uma formosa burrica.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 19:27

Capela de Parada de Aguiar e Rua do Arco, com ef. especiais


Created by Watereffect.net
Created by Watereffect.net


Comentários recentes




IMAGENS DA NOSSA TERRA

CLIQUE NA FOTO PARA ACEDER À GALERIA DE IMAGENS DE PARADA DE AGUIAR parada em ponto grande para imagem de fundo.

GENTE DA NOSSA TERRA

minha imagem para.jpg